quinta-feira, 1 de junho de 2017

O fim no fim... Marcelinho e Giza desligam-se do Estado Maior

casal em sua marcante apresentação na Mostra de Sambas Enredo de Porto Alegre - 2017.

Por Leandro Amarante

Maio foi um mês investido de grandes e importantes mudanças para o nosso carnaval.  Ao decorrer dos seus dias renovações, revelações e despedidas fizeram deste um mês agitado de pré-carnaval.

Ao desembarcarmos na “terrinha” novamente, as notícias que por lá circulam são as de encerramento de um ciclo, como também foi o mês das mães.

Há poucas horas circula nas redes sociais da Porta-bandeira mor de Estado Maior da Restinga uma nota, onde, entre sonhos não alcançados e excelentes memórias e emoções, descreve o desligamento do 1º casal. Acompanhe a seguir:

"Boa noite carnavalescos e principalmente a toda comunidade da Estado Maior da Restinga. Primeiramente gostaria de agradecer ao Preto e a Carla Pereira por todo carinho e respeito recebido até agora. Venho aqui comunicar que eu e meu mestre sala Luiz Marcelo não medimos esforços para permanecermos como condutores do Pavilhão da Estado Maior da Restinga. Nem tudo ė como sonhamos, pois o nosso sonho era encerrar o nosso ciclo na Restinga. Em contato com o atual presidente Richard, recebemos dele as condições contratuais para nossa permanência na escola. Eu e Marcelinho tentamos, pois sabemos do nosso profissionalismo e dedicação. Mas hoje chegamos ao denominador comum e infelizmente ficará INVIÁVEL a nossa permanência na agremiação, essa mesma que me recebeu desde o primeiro dia com muito RESPEITO, AMOR E CARINHO. O meu sentimento por cada um, não irá mudar. O que mudará é o carinho e o aplauso em que eu recebi de cada um de vocês quando empunhava o PAVILHÃO! Isso sim sentirei saudades... Dos “Os Tinguerreiros” freneticamente tocando para o nosso bailado. Mas a vida é assim.... Desejo do fundo do meu coração um caminho de vitórias para o Carnaval 2018! SE CHOREI OU SE SORRI... O IMPORTANTE É QUE EMOÇÕES EU VIVI ..."

Marcelinho já é conhecido na terrinha, passou pela escola e foi campeão com a mesma no ano de 2006 (homenagem à OAB). Ele tem passagem por diversas escolas de samba da capital e do interior do Estado, além de ser o mestre sala mais premiado do carnaval do Rio Grande do Sul.

O premiado beija flor deu inicio a sua carreira como mestre sala mirim de Bambas da Orgia. Profissionalmente iniciou no ninho da águia no ano de 1987 e lá permaneceu até 1991. Entre as escolas por onde passou estão: União da Vila do IAPI, Os Filhos da Candinha, Mocidade Independente da Lomba do Pinheiro, Academia de Samba Praiana, Império da Zona Norte, Imperatriz Dona Leopoldina e recentemente Estado Maior da Restinga.

A destaque Giza, estava prestes a iniciar seu 4º ano consecutivo defendendo o pavilhão do cisne altaneiro.

A porta-bandeira iniciou sua carreira como em 1994 na escola de samba Unidos de Guajuviras onde permaneceu por dois anos. Depois disso teve passagens por União da Vila do IAPI e Imperatriz Leopoldense.

Os 11 anos seu  bailado pertencia a Império da Zona Norte. Nos anos de 2010 e 2011 defendeu o pavilhão da Imperatriz Dona Leopoldina. Teve uma passagem pela Verde e Rosa da Padre Cacique e, retorna para mais um ano em Império da Zona Norte. Retornou ainda no mesmo ano para a Imperatriz.

“Nas prateleiras” possui diversas premiações tais como: Estandartes de Ouro, Troféus Personagens da Folia e Troféu Udesca.

Como casal, a expressão “incansáveis no amor a arte” os resume. 

Os dois dançaram juntos um total de 7 anos arrancando suspiros e aplausos em todas as jornadas em que seu pavilhão era desfraldado (certamente fixos na memória de muitos amantes da arte), sempre obtendo boas notas. Sua mais recente e louvável aventura foi a defesa do 3º pavilhão da agremiação carioca União do Padre Curicica.