quarta-feira, 8 de março de 2017

"O tempo será nossa maior inimigo, mas na certeza de um grande espetáculo" - diz Sandro Rauly da Imperatriz

"Pode fotografar" diz Sandro sobre não manter segredos com o barracão 

Por Israel Ávila 

O segundo barracão que visitamos foi o de Imperatriz Dona Leopoldina, a atual campeã do carnaval de Porto Alegre. Ao entrar, o cenário assustaria a qualquer folião torcedor da escola ou não, mas a tranquilidade do carnavalesco Sandro Rauly nos fez crer que no fim tudo acabará bem.

Todas as alegorias do carnaval passado seguem intactas, sem desmontar. Segundo o carnavalesco, de nada adianta acelerar este processo sem ter as peças que farão o carnaval seguinte, que segundo ele, começam a chegar na próxima semana.

O carioca ainda diz que no ano passado fez todas as alegorias em duas semanas, e na falta de 17 dias para o carnaval, ainda está “no seu tempo!”.

Ao todo são 8 trabalhadores no barracão da laranja da Zona Norte, embora o carnavalesco afirma que há atelieres no Rio de Janeiro e São Paulo confeccionando fantasias e peças para as alegorias da escola.

“Os gestores na espera dos recursos protelaram o inicio do trabalho nos barracões, mas temos materiais desde o meio do ano, fornecidos pelo projeto da cadeia Produtiva do carnaval. Quase que 80% das fantasias da Imperatriz foram feitas com este material. Os dirigentes queriam esperar pra ter a certeza da realização do carnaval, e agora a correria será certa, mas faremos a tempo do desfile, embora o tempo será nosso maior inimigo. Mas eu sei que nestas duas semanas que restam, dará sim para montar um belo espetáculo”.

Neste ano a Imperatriz Dona Leopoldina fala da contribuição do povo negro para a criação do Rio Grande do Sul com o tema “A Imperatriz canta e conta a negritude, tchê!”.

Sobre o retorno de Chico Passos pra escola, Sandro Rauly é enfático em dizer: “Muito do que se escreveu por ai é mentira. Ele é um grande profissional, mas estará na escola para colaborar e adereçar as alegorias, o carnavalesco segue sendo eu!”