quinta-feira, 9 de março de 2017

Barracão fechado, mas trabalhando!


Por Israel Ávila 

O único barracão em que o Setor 1 não entrou foi o da Embaixadores do Ritmo, não havia ninguém lá e estava fechado por fora. Em contato com o diretor de carnaval Gustavo Giró, ele diz que o carnavalesco Kiko está trabalhando com cinco pessoas no barracão para contar o enredo em homenagem aos 100 anos do samba, e para isso, contará com 15 alas e três alegorias.

Escola que iniciou a prática de “comprar” fantasias e alegorias de Rio de Janeiro e São Paulo e adaptar o seu enredo, neste ano, segundo o Girozinho, a palavra é adaptar e reciclar para poder desfilar, dizendo que não comprou nenhum material para este carnaval. Com tudo, o presidente diz já ter gasto mais 70 mil reais, mesmo as escolas de samba não tendo recebido nenhum fomento financeiro.