quarta-feira, 15 de março de 2017

A nova rainha de Bateria da Leopoldina!


Por Israel Ávila 

Passado o momento triste e trágico do adeus a Rainha de Bateria Paola Serpa, a Imperatriz Dona Leopoldina encontrou na substituta do posto uma maneira de homenageá-la. Neste ano, a rainha da Bateria Laranja Mecânica será Evilyn, filha de Paola. O convite foi feito pela direção da escola a Cau Piovessani, esposo de Paola, que ao permitir a estada de Evilyn na última Descida da Borges, acenou como positiva a passada de Evilyn com a Imperatriz também nas noites de desfile no Porto Seco.

No velório de Paola Evilyn, sem entender muito o que ocorria, já afirmava para as pessoas: “Vou sambar na Imperatriz...”, a vontade da pequena, que certamente seria também a vontade da mãe que já á incentivava em ensaios com fantasias e adereços, será atendida pela direção:

“No dia do enterro, o site EGO ligou às 8:30 da manhã, a pergunta era: Quem a escola irá colocar no lugar da Rainha Paola Serpa? Eu choquei! Não acreditei que esse seria o assunto. Em fim, fiquei a pensar. E não tive dúvidas de que a melhor homenagem que poderíamos fazer a ela, era colocar sua princesa para representá-la. Quando chego em casa recebo ao mesmo tempo mensagens no whatssapp da nossa Madrinha de Bateria Natiele Sants e do Nosso Diretor de Bateria Robson Vinicius: podíamos colocar a Evelyn pra homenagear a Paola, né? Não poderia ser melhor! Pra que mais? O Mestre Douglas concordou. E a nossa Coordenadora Joselisa Moraes entrou em contato com o Cau, esposo da Paola, que nos presenteou com a participação da Evelyn na Descida da Borges, foi uma maneira emocionante de dizer sim ao nosso convite.– Diz Helenira Lopes, integrante da direção da escola.

Para o Mestre Douglas Breque, na Descida da Borges foi algo emocionante ver Evilyn dançando. Segundo ele, a menina sempre teve a mãe como inspiração, nos passos e gestos, e viu nela lembranças de Paola.

“... a gente não sabia como fazer o convite, mas sabíamos que seria o correto. Além da nossa vontade tem muitas outras coisas envolvidas, como o sentimento, e as lembranças que a Imperatriz, a bateria e as pessoas poderiam trazer para ela. Mas ela transcreveu o sentimento em alegria e dançou lindamente emocionando todos nós. Por mim ela fica ali enquanto eu estiver! Somos gratos ao pai ela também, que com todo o sentimento que que está aceitou o convite e concordou em permitir esta homenagem...” – relata o diretor de bateria.