quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Tem japonês no samba gaúcho!


Por Israel Ávila 

A afirmação de que a cultura Brasileira é totalmente diferente e sem semelhanças a cultura do Japão cairá por terra quando você conhecer o jovem Yusei Tamaoki.

Aos 22 anos, atualmente reside no Brasil, Yusei veio para fazer um intercâmbio em fevereiro de 2016 e resolveu ficar! Encontrou por aqui as tantas belezas tropicais que o Brasil oferece e foi levado a uma escola de samba, o que não era novidade pra ele, isso porque lá em Tóquio, sua cidade natal, ele já participava dos desfiles de carnaval que existem a muitos anos por lá, com mais de 20 escolas e competitivo! 

Ele conta que lá as pessoas respeitam muito a cultura Brasileira e se espelham no carnaval daqui para realizarem seus desfiles. Em terras japonesas ou brasileiras a paixão dele são as baterias, o que o fez ser um dos ritmistas da escola de samba Japonesa G.R.E.S Unidos dos Amadores.



No Brasil seu coração carnavalesco se tornou azul e branco ao adentrar o Ninho da Águia Altaneira de Bambas da Orgia. Yusei foi levado ao ensaio da escola por algumas amigas e lá ficou! Hoje, integra a bateria Trovão Azul e não falta a nenhum ensaio ou apresentação.

“Quando estou tocando, sempre escutando o surdo e caixa, e sinto o som deles no meu coração. Porque eu acho que estes instrumentos criam som especial junto aos demais instrumentos da bateria. Estar com os amigos e tocando é algo que me deixa orgulhoso. É muito bom superar qualquer diferença. O samba tem esse poder...” – diz Yusei, feliz ao fazer parte de um setor com a importância que tem uma bateria dentro de uma escola de samba.

As habilidades do Jovem japonês não param por ai. Ele ainda toca pandeiro, cuíca e diz estar aprendendo a tocar caixa. “Vou adiar minha volta ao Japão. Primeiro tenho que desfilar com o Bambas aqui...” – Exclama ele sobre seu retorno a seu país de origem previsto para logo depois do carnaval.

Seja na bateria ou em outro setor, a passagem de Yusei pelo Complexo Cultural do Porto Seco terá uma representatividade gigante para os verdadeiros e autênticos amantes do samba. Ela irá exemplificar o que uma legitima escola de samba faz: acolhe, ensina, socializa e traz alegria a quem quer que seja. Um lugar onde o que menos importa é sua etnia ou de onde você vem... ali o que vale é ser feliz... trata-se uma fabrica de sonhos, que jamais irá descriminar alguém.

Viva as escolas de samba!
Viva o carnaval do Brasil e do Japão!

Viva nosso amigo Yusei! 

(Veja abaixo video do carnaval no Japão)