domingo, 26 de fevereiro de 2017

Muita comoção e uma lição: Valorize seus segundos!

A imagem do carnaval - Foto Gabriel Monteiro - RioTur

Por Israel Ávila

A segunda noite de desfile da Série A do carnaval carioca 2017, na madrugada deste domingo (26), teve um acidente e muita emoção comoção por parte de todos os carnavalescos dos mais variados cantos do país. A porta-bandeira da escola Unidos de Padre Miguel caiu diante da cabine dupla de jurados durante a apresentação.  

Jéssica Ferreira e seu par, Vinícius Henrique, faziam a evolução diante da segunda cabine de júri quando ela perdeu o equilíbrio e foi ao chão. O mestre-sala tentou a acudiu, mas ela não conseguiu continuar o desfile e deixou o sambódromo de ambulância, direto para o hospital Souza Aguiar, de acordo com informações da Rede Globo, que transmitia o desfile. 

Uma triste coincidência com o tema enredo da escola que falava de Ossanha, orixá da cura que não possui uma perna.

Ainda na transmissão é possível escutar os bombeiros e os socorristas que prestaram atendimento a Jéssica ainda na avenida dizendo que ela havia quebrado a perna. Segundo o jornal "Extra", ela teve uma entorse no joelho esquerdo. A sambista teve alta na manhã deste domingo. 

Depois do acidente, Vinícius seguiu sozinho na avenida com a bandeira da Unidos de Padre Miguel. O público, que já havia aplaudido Jéssica enquanto ela era atendida e deixava o local, também se emocionou e ovacionou o mestre-sala. Apesar de parecer um pouco abalado, ele bailou para a arquibancada e encantou a todos. Ainda recebeu o apoio de Ana Paula Lessa, orientadora do casal. 

Cássia seguiu o desfile como primeira porta bandeira - Rafael Devid - RIOTUR

Continuou o desfile até a chegada de Cássia Maria segunda porta-bandeira da escola. Apesar da diferença nas fantasia, o casal evoluiu junto, e a agremiação concluiu o desfile. 

"Não sei explicar. Eu estava dançando com o meu irmão, que é o meu mestre-sala, quando veio o diretor de harmonia, o Quenga, falando que eu teria que ir lá para frente porque tinha acontecido uma fatalidade com a Jéssica (...) Todo mundo falou que acreditava em mim. Só quero agradecer ao Vinícius."

Uma boa lição...

Qual escola está livre desta fatalidade? Com isso, Jéssica, Vinicius, Cassia e a Unidos de Madre Miguel deixam uma valiosa lição: Valorize seus segundos! Eles poderão e deverão um dia, ou a qualquer momento serem seus primeiros!

Muitas vezes os segundos casais de mestre sala e porta bandeira, passistas e estandartes não recebem o valor devido por parte das escolas por tratarem-se de “quebra galhos”. Com o fatídico episódio carioca, esperamos que os dirigentes passem a olhar com outros olhos para esta parte fundamental que representam muito para o bom andamento de um carnaval.

Que possam ter tratamento e fantasia adequada, e que estejam prontos para com garra defenderem seu pavilhão, seja qual for a posição que estiverem.