sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Império do Sol retoma atividade social de formação


Por Leandro Amarante

Aos poucos aquela flor quase sem vida (chamada carnaval leopoldense), com pétalas por cair, está sendo regada novamente e vai recebendo aquele trato mais atencioso... Um simples ato esperançoso de revê-la linda e imponente novamente.

Na noite de ontem, esse veículo de comunicação participou de uma tratativa entre o poder público e os carnavalescos da cidade de São Leopoldo, onde as boas notícias foram o grande sopro de esperança para o município – o retorno das atividades carnavalescas, que um dia já foi reconhecida como 3ª maior manifestação do estado.

Sempre imbuídos na missão de “não deixar o samba morrer”, a atual campeã do extinto Grupão na capital, Império do Sol, com sede em São Leopoldo, apresentou nessa reunião o retorno de uma grande atividade social que existe no município desde o ano de 2001.

A iniciativa parte dos mestres-sala Ramão Carvalho, que foi por 16 anos o mestre sala da escola, e de Raphael Rosa, atual mestre sala de Império do Sol. O projeto surge de contramão a todas as dificuldades e ameaças em que se encontram as manifestações carnavalescas.


Esta oficina já é tradicional na Escola e existe há um bom tempo, e de lá formaram-se diversos destaques da própria escola e do carnaval gaúcho.

“... este espaço das aulas de dança na realidade é uma retomada das oficinas que há muito tempo existem na escola... que beneficiava à todos os destaques da escola, inclusive eu, como forma de aprendizado e de manutenção corporal... a Oficina iniciou em 1998, retomou em 2001 e foi até 2010 comigo, depois o Raphael realizou por mais algum tempo...”

“As dificuldades são imensas, tamanho é a preocupação do presidente Miro com a situação do carnaval como um todo, mas não podemos desanimar, é um momento difícil que estamos vivendo, uma crise nacional, e quem leva a pior? ...o povo da periferia, ‘o nosso samba pé no chão’, que está agonizando... então a ideia é de criar novas alternativas, é o momento de ser criativo, de resgatar e de sobreviver, numa forma de resistir, de dizer que estamos firmes no propósito de manter hasteada, majestosa e altaneira a bandeira do samba...”, conta ao site o idealizador Ramão Carvalho.

Não ocorrerão aulas apenas para o segmento Mestre sala e porta bandeira (área de atuação dos incentivadores), mas de várias danças do nosso carnaval – porta estandarte, passistas e samba no pé. A outra novidade nessa releitura é a participação do 1º casal de passistas da Majestosa, David de Souza e Isabel Milano, que possui formação em dança.

O projeto será aberto a todos (as), sem restrição de idade, quem quiser chegar e participar, será sempre bem vindo (a).

As aulas e oficinas vão ocorrer aos domingos, das 15 às 16 horas inicialmente na sede da Majestosa (Rua São Domingos, 427 no Bairro São Miguel em São Leopoldo). As meninas deverão ir de saia (se tiver talabarte, melhor). Não há restrição de sapatos e vestimentas, pois serão aulas iniciais.

 Em tempos onde só se fala em desistir e retroceder, o Império avança por mais cultura! É o sopro de esperança na avenida...

Fotos: acervo pessoal/Ramão Carvalho