quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Dia de comemorar 58 anos da escola do povo!


Por Israel Ávila 
Informações - Dep Marketing Imperadores do Samba 


A Imperadores do Samba completa 58 anos de história neste dia 19 de janeiro. Uma grande festa vai ser feita na quadra da escola (Avenida Padre Cacique, 1567).

Grupo show, destaques, bateria e harmonia da vermelho e branco prometem agitar a noite. Fogos de artifício e o tradicional “bolo da família Imperadores” completam o evento. A festa será realizada nesta quarta-feira (18), a partir das 20h, mas à meia-noite, fogos de artifícios marcam a comemoração de mais um ano de existência da escola. Escolas coirmãs estarão presentes.

Este ano, a “Escola do Povo” vai levar para a avenida a trajetória da pintora mexicana Frida Kahlo. Suas telas coloridas, vida familiar, cultura, entre outros pontos da carreira de Frida serão exibidos em alas e alegorias da escola. O enredo é : “Sou Resistência e não me Kahlo: Frida: Sou México em Flores, Cores e Amores: Diva entre Imperadores”.

O desfile oficial da Imperadores está marcado para o dia 25 de março. A escola será a quinta agremiação a se apresentar no Complexo do Porto Seco, o “sambódromo” de Porto Alegre.

História da escola

E foi dado início a um grande espetáculo!. Quando naquela noite de 19 de janeiro, seis guris fundaram o Grupo Carnavalesco Imperadores do Samba, não imaginavam que estavam criando um império de paixão.
No ano de 1959, o grupo já estava em ação em seu primeiro carnaval. Era Carlos Alberto Medeiros – o Bolão – trazendo o estandarte com garbo e maestria, do remelexo Francisco Peixoto – o Sem Espinha – apresentando com muita habilidade suas acrobacias e os requebros de Lúcio Machado, João Ananias com a voz infantil ainda, mas segurando bonito os sambas compostos especialmente para a  Imperadores pelo Antônio Ananias. Mal sabiam eles da grandiosidade que estavam criando, a partir de uma simples brincadeira de meninos. Este era o primeiro de uma série de destaques, da longa existência da escola.

Desfile da Imperadores em 1979 - Foto Adolfo - Agência RBS

O nome de seis fundadores: Abrelino Amorim Borges (Baiano), Alencar Frederico Homero (Neco), Antônio Natalício Gonçalves Ananias (Banana), Eloi Florence Martins (Eloí), Luiz Carlos Amorim Borges (Amorim) e Osvaldo Felipe dos Santos (Vadinho). Todos moravam próximos a rua Joaquim Nabuco, localizada no bairro Cidade Baixa.

A ideia de brincar no carnaval agrega estes rapazes, que chegam a criar seus próprios instrumentos movidos pela imensa vontade de sair no carnaval. Ao grupo inicial foram sendo convidados outros amigos e o grupo atinge o número de 23 componentes para este primeiro desfile. Vestem uma estilização de malandro: camisa branca e calças pretas. Movidos pela alegria participam em diversos coretos da cidade ganhando muitos troféus Presença e Simpatia.

Em 1961 somos batizados pelo Trevo de Ouro, grupo carnavalesco de grande expressão na época, que acabou desaparecendo. Nos anos iniciais era possível fazer ensaios na casa de um ou de outro, mas com o tempo o grupo cresce e passamos a ensaiar em diferentes locais: na Joaquim Nabuco, em vários terrenos, na Travessa Pesqueira, na Múcio Teixeira, na casa da Tia Janda, ex-quadra do Grupo Carnavalesco Nós no Comando, várias ocasiões na Marcílio dias, na casa da Dona Doca, na Rua Arlindo, no campo do Israelita, na Avenida Carlos Barbosa, na Érico Veríssimo e atualmente na Avenida Padre Cacique.

Foto Luis Armando Vaz

Diretoria

Presidente: Rodrigo Costa
Vice-Presidente: Paulo Pires
Secretárias: Ana e Jurema
Diretor de carnaval: Érico Leoti
Figurinista: Luciano Maia
Mestre da bateria: Júnior Aruanda
Madrinha de bateria: Raquel Nunes
Rainha de bateria: Fernanda Aguilhera
1° casal de Mestre Sala e Porta Bandeira: César Augusto (Céeh) e Nathilelly
1ª Porta Estandarte: Elisandra Farias
1° casal de passistas: Andrézinho e Viviane
Corte Carnaval da Imperadores: Rei Momo (Daniano), Rainha (Alexia) e Musa (Íris)