domingo, 23 de outubro de 2016

A energia master do Samba de Madureira


Por Israel Ávila 

Na noite de ontem a Sociedade Oriente, em Canoas, foi palco de uma verdadeira e autêntica Festa da boa Música. Feliz o dia em que Tom Correa e companhia (grande e afinada equipe) tiveram a ideia de fazer uma roda de samba fruto do time Madureira F.C., ...nascia o Samba de Madureira.

Quando se fala em Samba de Madureira, rapidamente vem a cabeça o boêmio bairro carioca, embora o nosso Madureira não deixe a desejar a ninguém. Um espaço físico, som de qualidade, bons músicos e cerveja gelada, tônica perfeita que mostra não ser preciso muito para realizar um evento de sucesso, e assim foi.

Tive o prazer de ser o apresentador do evento e desfrutar de horas do mais autêntico e puro samba. Pra iniciar, Doce Paixão, acompanhado de seu filho pródigo Juninho Paixão passearam pelos pagodes e sambas novas e antigos, enquanto o espaço ia ficando cada vez mais lotado.


Logo em seguida foi à vez da Roda de Samba de Madureira, com time Série Ouro escalado pra colocar o povo todo pra cantar e dançar. No comando dos vocais Corélio e Gustavo Martins, duas das vozes mais respeitadas do gênero no estado. Os músicos da mesma maneira de alto escalão: Rochinha Energia, Bolacha do Cavaco, João do Violão, Max Anderson e muitos outros.

Enquanto o samba rolava, as pessoas pediam suas músicas como se estivessem em casa e assim o samba ia ficando cada vez mais “a vontade”, a final, o Samba de Madureira se torou a casa do samba de Canoas.

Pra encerrar, os “monstros sagrados” do samba gaúcho, Pagode do Dorinho. Cantaram, dançaram, e encerraram com chave de ouro o evento, fazendo todos saírem se perguntando qual seria a data do próximo.

Quando ouvir falar em Samba de Madureira, não pense duas vezes, compre seu ingresso e “bora sambar!”. O melhor investimento que se pode fazer, é na alegria e no bom samba!

Vida longa Madureira...