sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Sobe e arrasa!


Texto: Israel Ávila
Imagens: Andrei Oliveira 

Na última quarta feira o carnaval, em especial do Vale dos Sinos, foi surpreendido pela noticia da perda de um de seus mais importantes destaques, Cássio Marques, a Musa Gay da Protegidos da Princesa Isabel . Mas antes de seguir este texto, quero dizer que ele não falará de morte, e sim de VIDA, palavra que define muito bem o que era o Cássio.

Quando cheguei na Protegidos em meados de 2007, ele foi uma das figuras que mais me chamou atenção, não por ser um gay vestido de mulher, mas exatamente ao contrário: Ele era uma dama em corpo de homem.

Educado, gentil de um sorriso cativante, Cássio talvez tinha no respeito pelos seus colegas de escola sua maior arma e sua maior virtude para que todos o tratassem bem, do maior representante da Protegidos, na época o saudoso Sebastião Flores, até o mais novo e jovem membro da bateria.

Por falar em Bateria, SIM – Cássio era a MUSA GAY DA BATERIA, e infeliz da bateria que não teve uma musa como ele, bem vestida, exuberante, que não faltava ensaios e que botava no corpo e no samba “muita nega no chinelo!”.

A indumentária também merece ser citada: sempre bem vestido para chegar a quadra e melhor ainda para fazer o show. Ainda era generoso, maquiando e arrumando os colegas de camarim. Quem está ou esteve na Protegidos, duvido nunca ter usado uma maquiagem ou as famosas cabeças do Cássio.
Das tantas rainhas, madrinhas e musas que a escola teve, ele foi o PROFESSOR de todas elas. E digo mais, o EXEMPLO de todas elas!

Enquanto esteve na escola era sim um dos representantes folclóricos da tricolor de Novo Hamburgo. Respeitou a bandeira da escola e tinha um orgulho descomunal do personagem que criou e sustentava com muito zelo.

Nosso Cássio (ou Rafaela) partiu pra deixar uma mensagem importantíssima a todos nós: Para que prestássemos mais atenção na tristeza e nos sinais de angustia de nossos amigos e semelhantes. Para que possamos nos abraçar mais, nos oferecer mais sorrisos, nos visitar mais, e principalmente, sermos mais amigos e parceiros um dos outros. Para que possamos passar a aceitar as pessoas a nossa volta como elas são, principalmente, nos orgulhas das pessoas que mesmo diferentes, conseguem fazer todos a sua volta mais feliz...

Meu amigo, tu não partiu sozinho! Partiu contigo todo o carinho que tínhamos por ti, toda admiração, afeto e amor que tínhamos pelo teu personagem e também um pedaço considerável do carnaval do Vale dos Sinos.

Desculpa pela demora, já que tu sempre me perguntou quando seria matéria do Setor 1... é que eu não sabia que Deus ia te chamar tão cedo pra ser a estrela que tu sempre foi, só que no céu...

Vai lá NOSSA MUSA!
SOBE, E ARRASA!