segunda-feira, 23 de maio de 2016

Renan Ludwig: "O que vejo e o que me fazem de ruim não me representa!"


O entrevistado de hoje tem 31 anos, trabalha com uma Empresa de Eventos (responsável por garçons, seguranças, cozinheira, etc), é casado a 05 anos com Janine Machado; e aliado a tudo isso ostenta e orgulha-se de ser Músico profissional além de Técnico em Administração.
RENAN FARIAS LUDWIG, conhecido pelos bordões: -"Mete a mão, mete a mão, mete a mão"... -"Na palma na mão" iniciou na música no ano de 1997. Foi nos festivais de música da Escola Dolores Alcaraz Caldas, onde Renan concluiu seu 1º grau na Restinga Nova que nosso entrevistado deu seus primeiros passos na arte musical. No ano de 1999, ele penda para nossa Festa de Momo como ritmista, com Mestre Caloca na Academia de Samba Praiana, relata ter sido um Carnaval memorável. Em 2000 após passar pelas Oficinas do Mestre Guto, faz o seu primeiro Desfile pela Estado Maior da Restinga.
Em 2002, ele também faz parte do coração de mais uma Agremiação: União da Tinga sob o comando do Mestre  Rogério (Mestre Zé). Em 2002 proibido por sua mãe de frequentar as quadras por notas baixas no colégio cria uma Escola na sua rua: "Esplendor de Lins", foi quando teve a certeza do que queria e decidiu ser "Puxador" de Escola de Samba.

            Em 2003, a convite do Elpidio Braga (pai de Samara Braga - Bambas da Orgia), então Diretor de Carnaval da União da Tinga, para compor o carro som da escola, junto ao primeiro microfone de Chocolate, ao qual o abraçou e deu todo apoio,permaneceu como apoio por 01 ano. Em 2005, aos 16 anos, assumiu o microfone número 01 da escola, a convite da Presidente Noely...
Histórica passagem pela Vila do IAPI
Desde então, não abandonou mais o Carnaval. Em 2006 veio o 1 Estandarte de Ouro no Acesso pela Esporte da Samba (projeto de João Bosco Vaz). No Projeto, Renan relata que aprendeu antes de ser artista a ser um "cidadão" graças a seu padrinho Sandro Ferraz, que na época o indicou para o posto junto a outros meninos que acreditavam no sonho de um dia ser intérprete.
Renan cita nomes: Geisa, Flavio Cabeça, Nena e Ana Paula entre outros que conviveram com ele por 03 anos. Neste mesmo ano, também estreou em Uruguaiana na Bambas da Alegria, a convite de Papai Joel da União da Tinga, e conheceu Fabio Flores, Diretor de Carnaval na época, que o levou para o carro som daentidade.
Fazem 09 anos que desfila na Fronteira (08 anos pelos Bambas e 01 pelo Marduque). Com 22 anos, no ano de 2008 a convite de Hélio Garcia (ao qual tem muita gratidão), nosso entrevistado estreia na Tricolor da Zona Sul, assumindo como intérprete oficial, permanecendo por 03 carnavais. Em 2011 deu sequência a vida artística carnavalesca pela Campeã Imperatriz D.Leopoldina, junto ao Presidente Maurício Nunes, onde cita ter feito muitos amigos. A convite de Vitor Nascimento (Vitinho) e Rafael Tubino, em 2012 fez sua estreia na União da Vila do Iapi, sob as bênçãos do Presidente Jorge Sodré e toda comunidade, onde relata ter adquirido muita experiência e amadurecimento como profissional e pessoa. Em 2014 Renan, retorna a Imperatriz, na gestão da Presidente Juciane Afrausino. Ele cita ter tido um de seus melhores momentos no Carnaval. Enfim no ano de 2015, o retorno para casa (risos)... Deixaram-se magoas e ressentimentos e veio o convite do Presidente Robson Dias “o Preto" para retornar a escola. Renan nos diz: "-Foi maravilhosa a sensação de saber que poderia dar sequência a ciclo que mal havia iniciado, sempre bem recebido pela Comunidade que me criei... Uma alegria ,imensa de verdade." 

             Uma das maiores tristezas carnavalescas do nosso entrevistado foi quando em 2015, ao perder sua avó por quem tem forte ligação, teve por um período problema de voz devido seu emocional, foi tachado por irresponsável por estar assim e o problema não era este e sim emocional.

            Sua maior alegria ,foi neste ano, estrear em São Paulo (graças a Rafael Tubino e Viny Machado-Imperadores do Samba), foi cantar pela Mocidade Alegre e acabou defendendo sambas na Unidos de Vila Maria,  Gaviões da Fiel, Camisa Verde e Branco,  Vai Vai, e Rosas de Ouro (samba que defendeu foi campeão). Renan fala sobre esta experiência:
"-Foi uma aula, uma intensivo para minha carreira, mudei conceitos, cresci muito e mudou minha visão... Não posso deixar de citar o Estandarte de Ouro em Porto Alegre, no Grupo Especial Série Ouro, minha harmonia e o reconhecimento como intérprete!"
Nos tempos de Imperatriz 
 O Curriculum do nosso entrevistado é extenso, já defendeu escolas por várias cidades: Artigas (no Uruguai),*Emperadores De La Zona Sul (com Lu Astral), Uruguaiana *Bambas da Alegria, Ilha do Marduque, Apoteose do Samba e Toca do Lombo, em Itaqui *Acadêmicos da Mocidade e Império do Arco Íris em Cruz Alta *Unidos do Beco em Canoas *Os Tártaros, Novo Hamburgo *Império S.Jorge e Portela do Sul (atual campeã),Viamão *Império da V.Planalto, Pelotas *Unidos do Fragata , Rio Grande *Unidos da Reinghents, Guaíba *Tradição e Alvorada *Bem vinda .

         Renan ressalva que sua avó Dona Maria de Lourdes, já falecida, foi sua maior incentivadora e apoiadora, sempre acreditando em seu sonho e se não fosse ela teria desistido.
             Em 2017,será sua estreia no interior de São Paulo, como intérprete oficial da Leões do Ita (Ilha Bela), nos adianta que tem um projeto sendo feito, dois CDs (01 com todos os sambas que já cantou em Porto Alegre e outro com sambas autorais dele). Sobre o significado do carnaval Renan nos diz :
"-O Carnaval na minha vida representa "uma válvula de escape" pras mazelas do dia, pois foi a maneira mais acessível que encontrei para expor o que sinto, fazer o que gosto e realmente me faz bem. Amo o samba, amo samba enredo, amo a arte popular que o Carnaval me proporciona. Eu amo o que eu faço, ver as pessoas cantando, vibrando e sambando comigo ao som da minha voz... Oque vejo e me fazem de ruim, não faço ligação ao samba e não me representa!"