terça-feira, 19 de abril de 2016

Dia do Índio


Por Ramão Carvalho 


Hoje, 19 de Abril, é dia do índio [que, aliás, é o verdadeiro dono desta terra]...

A data de 19 de abril foi proposta em 1940, pelas lideranças indígenas do continente que participaram do Primeiro Congresso Indigenista Interamericano, realizado no México. No Brasil, este dia também foi aceito (3 anos depois) pelo presidente Getúlio Vargas, através do Decreto de Lei 5540 de 1943.

A data, hoje, pode [e deveria] ser comemorada e considerada importante, para servir também de reflexão, sobre os valores culturais dos povos indígenas e a importância da preservação e respeito à sua cultura e aos seus valores.

Tamanha a importância deste povo para a formação do povo brasileiro. Herdamos muitas coisas destes nossos ancestrais como o banho diário, a formosura, a inocência, os traços étnicos, a culinária com a pipoca, o feijão, o aipim, a guaraná, a pitanga, dormir em rede, a arte plumária no carnaval, as expressões de língua, e tantas outras... e, apesar de todos estes aspectos, ainda há muitos brasileiros, que não aceitam a condição de ser descendente dos donos da terra, de ser descendente de índio...


Acredito ser uma ignorância por parte de quem faz do desdém e da omissão uma forma de renegar as suas origens e a sua ancestralidade... Talvez porque o indígena seja um povo sofrido, pacífico, que possui os valores sociais voltados para a terra e para a natureza. Um povo que foi dizimado e mal tratado desde que tomou contato com os europeus, convivendo desde lá com o descaso e com o preconceito... (uma triste coincidência que chega até os dias de hoje... pois o brasileiro nativo, pobre e esquecido ainda sofre com o preconceito...).

Desta forma, podemos afirmar com convicção, que, sim! Somos todos, os brasileiros, um misto de índios, negros, brancos, amarelos, mulatos, pardos... e todos os demais povos que compuseram esta miscigenada gente brasileira...

Os índios possuem muitas lendas, muitos são os seus legados, conhecedores das energias da terra, das plantas, das flores, do poder dos frutos e da natureza. Eles são valorizados e também são parte importante das manifestações espirituais da Umbanda, os caboclos (como são chamadas todas as entidades que ali se manifestam) tornaram-se um termo geral para definir o todo da Umbanda, religião genuinamente brasileira, uma religião sincretizada, pois agrega todas as etnias e credos, desde os africanos, católicos, espíritas e os donos da terra: os índios do Brasil. Sua falange é imensa, desde o Supremo Tupã, Tupi, Tupinambá, Guaraci, Yara, Jurema... e muitos, muitos outros...

Viva o índio! Viva os povos indígenas! Viva os Caboclos!