segunda-feira, 11 de abril de 2016

Destaques da Vida: Marquinhos Leal

Nesta Semana, venho falar de uma pessoa mais que popular em nosso meio carnavalesco: MARCOS PAULO LEAL, vulgo "Marquinhos Leal", 19 anos dedicados a nossa festa popular. Marquinhos tem 30 anos de idade, é carregador de processos e cumpre uma carga horária de 08 horas diárias de trabalho.
Marquinhos começou como passista, a convite de Vitor Hugo  seu Padrinho, na Imperatriz Dona Leopoldina. Sua 1ª parceira foi sua amiga Claudia "a Clau", seguidas de Fabi, Solange e Fran. Após Marquinhos, foi para Império da Zona Norte, a convite do Presidente Urso, onde voltou a bailar com Solange e em seguida com Mary, a qual realizou um sonho, formando  o 1º Casal da escola por 02 anos.
Foto: Fábio Cruz
Nosso entrevistado, salienta que tudo que almejou teve êxito, graças a força e alicerce que sempre teve de sua família e principalmente seu irmão "Dudu", que o ensinou tudo, inclusive como se impor e respeitar aos outros, e claro a coordenar uma Ala de Mulatas.
Marquinhos fala com emoção: “Essas meninas eram tudo na vida dele... Eram filhas, amigas e pelas quais tinha um amor incondicional.”
Após a morte de seu irmão, assumiu a Ala denominada "Nota 10", nos diz que umas estranharam um pouco, mas o trabalho seguiu naturalmente, contando sempre com seu braço direito: "Gabriela Oliveira", que chegou para somar e brinca: “Ela está bombando e sambando na cara da sociedade!”

Quando Marquinhos estava pensando em somente cuidar da ala, veio mais um desafio: o convite da União da Vila do IAPI, feito pelo Presidente Jorge Sodré e Juliana Oliveira, de ser o REI DE BATERIA dos Meninos da Vila, como forma de homenagem a seu irmão Dudu. Marquinhos conta que aceitou o convite muito feliz e que inicio  não foi fácil, mas nunca desistiu e seguiu e segue firme e forte como ensinou seu irmão Dudu.
O Rei hoje se sente muito realizado, com o carinho e respeito dos ritmistas, diretores e todos da escola, ele agradece a Deus por tudo isso e diz que desistir é para os fracos e só os fortes sobrevivem. Marquinhos é Umbandista e finaliza dizendo que o Carnaval para ele, é mais que uma festa. é uma maneira de curar a alma das mais profundas feridas... é expressar um sentimento que muitas vezes esquecemos de sentir: A felicidade. Uma maneira de esquecer problemas, abrilhantar os olhos, unir uma Comunidade, defender um pavilhão, sorrir, chorar, se desesperar, de cuidar, de amar...
Enfim, o Carnaval é uma explosão de sentimentos, uma herança cultural que temos a honra de ter sido deixada neste país. Fico por aqui, com MARQUINHOS LEAL, nosso DESTAQUE DA VIDA E DO CARNAVAL!