quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

É... lá se vai... agonizando o meu samba capilé!


Por Ramão Carvalho 

Sou de um tempo em que nossa cidade era ponto cultural e referência no assunto carnaval. Era um tempo que vivíamos a disputa de um “grenal” na Avenida Independência. Depois, o samba e o carnaval foram para a Avenida Dom João Becker, também disputadíssimo, as escolas aguerridas, a população engajada, as comunidades com suas cores e com sede de títulos... eram bons tempos!

Hoje a atmosfera carnavalesca é outra, um tempo de descaso por parte do poder público. Uma cidade com tanto potencial, com tantos artistas, com renomados sambistas, onde há tantos talentos... que por não haver incentivo, procuram em outras cidades um lugar para demonstrar seus valores geniais. As nossas escolas daqui destacam-se em outros carnavais... pois já brilharam e fizeram espetáculos na nossa cidade... nos bons tempos...

Entristeço-me ao abrir o jornal da cidade e saber que a prefeitura cancelou, ou melhor, não cumprirá com o prometido (prometeu que este ano de 2016 teria carnaval na cidade). Entristeço-me, pois o carnaval é a diversão popular, aquela que é feita do povo para o povo, e que, mais uma vez não terá a sua edição oficial, realizada, organizada e amparada, como em outros anos anteriores; eram bons aqueles tempos...

Algum desavisado poderá dizer que este dinheiro deve ou deveria ser “melhor aplicado” em outras obras e serviços para a cidade, porém rebato, uma vez que a cultura e o lazer também são necessidades do povo. Desta feita, me vem outra pergunta: como outras gestões municipais, como os outros prefeitos conseguiam manter a cidade e ainda fazer belíssimos desfiles de carnaval na nossa cidade?
“[...] ...muitas pessoas me dizem que o prefeito deve pegar o dinheiro do carnaval e tapar os buracos das ruas (mesmo que o dinheiro não tenha ido por estelionato intelectual)... Daí eu pergunto: no ano passado não teve carnaval, e, como andam os buracos da cidade? Anderson Ribeiro.

Outro ponto relevante, em se tratando de cultura e lazer (e também movimentação econômica na cidade) era a São Leopoldo Fest, que em algumas edições agregava toda a intelectualidade e artistas da nossa cidade... poderíamos assistir sambistas, carnavalescos, bandas de rock, musica gospel, funk, sertanejo, gaudério e tantos outros talentos em um único lugar... é... eram bons aqueles tempos...


Hoje, o que há de disponível de acesso popular em nossa cidade? Nada! Não há nenhum espetáculo, nenhuma festa, nenhum show, nenhuma manifestação... enfim, o povo, o povão que vota, paga seus impostos, que faz a economia deste município girar, não tem direito à ruas em bom estado, não tem direito à um hospital descente, à segurança, e também está excluído da vida social, da diversão e das atrações culturais... foram-se os bons tempos desta cidade...