quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Carnaval: "Festa de negro, gays e favelados!"

Texto: Israel Ávila

Não é de hoje que o carnaval é banalizado e é feito “de tudo que há de ruim” na boca de quem não gosta ou não quer aceitar o carnaval como cultura popular. Muitos são os que dizem que o carnaval é “tudo que não presta”, outros, mais atordoados mentalmente, ainda afirmam que é “coisa do diabo!”.

Ignorância humana a parte, a verdade é que a festa de momo sofre na mão dos preconceituosos, sejam eles reais, ou os que se escondem atrás de fakes pelas redes sociais, única e exclusivamente para denegrir a imagem das minorias, que encontram no carnaval uma fuga para ser feliz, em meio a tanto preconceito existente na sociedade.

A verdade é que dói aceitar que o carnaval é sim a festa popular mais democrática que existe no planeta. Uma festa onde não importa a cor da sua pele e sim a cor da sua fantasia. Não há no mundo escola de samba que proíba a entrada de negros em seus espaços, assim como faziam antigamente em clubes da alta sociedade, locais públicos, parques e até mesmo em algumas igrejas. Negros, pardos, brancos, vermelhos... todos certamente serão bem aceitos nos “templos do samba” Brasil afora.


Você não precisa atestar sua orientação sexual ao adentrar em uma avenida, afinal, no carnaval todo mundo pode ser o que quiser. Através de fantasias e adereços, homens podem virar mulheres e mulheres podem virar bichos, ou até “bixas”, se assim desejarem. Ninguém vai te apontar por ser diferente, porque na nossa festa, ninguém deve e nem pode ser igual.

O seu poder aquisitivo financeiro também não será problema. Aqui ninguém cobra altos impostos e nem altos juros, e mesmo que você não tenha dinheiro, certamente haverá lugar para se divertir, afinal, a alegria e a satisfação de estar feliz em um desfile não tem preço, e nem somos obrigados a pagar. Assim como há quem pague caro para estar em grandes eventos e bailes de carnaval dos clubes, há escolas de samba que distribuem fantasias de graça, únicas e exclusivamente na troca de ver a felicidade do seu folião.

Tem ainda os que dizem que o carnaval é verba pública jogada no lixo. Ao todo são milhões de brasileiros apaixonados pelo samba, que pagam seus impostos, e por isso tem também o total direito de poder escolher para onde quer que seja investido o dinheiro de seu município.



Lembrem-se da frase do hino rio-grandense que diz: “... povo que não tem virtude, acaba por ser escravo!”.  Não seja escravo da sua ignorância, tão pouco fale daquilo que não tem conhecimento. CARNAVAL É CULTURA, e cultura é assegurada por lei.

Aceite que talvez nossa festa tenha tantos negros, gays e pobres, porque não se discrimina ninguém, e isso não é errado. Errado é querer denegrir, banalizar e até prejudicar a cultura e a diversão do outro, simplesmente por “ACHAR...”.

Você que segue “ACHANDO” o carnaval uma coisa negativa, aproveite sua capacidade de achar, e ache algo pra fazer, você está precisando... e se der tempo, aproveite os ensaios de nossas escolas de samba e vá a um desfile de carnaval... na nossa festa tem lugar pra todo mundo, até para ignorantes como você.