sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Ainda sobre a mostra de Sambas Enredo 2016... 1ª Noite


Bom gente, passada a mostra de sambas enredo 2016 gostaria de falar um pouco sobre as nossas baterias que passaram pelo palco na primeira noite e que, graças ao nosso deus do samba observei apenas coisas boas.

Existem questionamentos sobre o retrocesso do nosso carnaval. Isso não se aplica em bateria.

Alguém viu caixa de guerra com esteira ou surdos de madeira com nylon em cima? Não.

Estavam lá caixas com bordão, surdos com couro, chocalhos de madeira. Se olharmos para o carnaval carioca vemos peles de nylon coloridas, instrumentos adesivados e plotagem nos couros...

Aqui também... Isso mostra que estamos em cima no quesito organização, auxiliados, claro, pelos subsídios que são repassados pelas agremiações. Isso podemos chamar de crescente do nosso carnaval.

Ritmistas bem vestidos. Ritmos variados para todos os gostos... Rápidos, mais cadenciados, bossas, breques e convenções de deixar a gente orgulhoso tamanha qualidade, criatividade e audácia.


Pois então vamos às observações individuais...

Abriu o evento a escola de samba Unidos do Guajuviras. A bateria cadência da nação se apresentou sob nova direção. A escola buscou uma solução caseira para administrar essa bateria que hoje é uma das mais fortes e tradicionais da grane Porto Alegre.

Mestre Gallo assumiu a bateria praticamente na semana do evento. Ele, como não é nada bobo, meteu um andamento seguro e não se atrapalhou. Veio firme. Parabéns Gallo e sucesso ao amigo. E parabéns escola, pois agora vai resgatar os ritmistas da comunidade.

Logo após veio a Bateria dos Bacanas. Temos que tirar o chapéu para os mestres das escolas do grupão, pois Gallo e Mestre Jr. Medina tiveram que fazer mágica.

Mestre Jr. Medina fez um ensaio na quinta somente com o samba. Como ele está em uma escola de comunidade já tinha seu grupo de ritmistas com um andamento já definido pois ele vem ensaiando sua bateria a algum tempo. Então, na própria quinta ele já elaborou uma bela bossa e uma convenção que fechou certinho com o samba. Logo, se saiu muito bem no evento. Bom ritmo e boa criatividade.

Se Gallo e Jr. Medina fizeram mágica, o que dizer de Mestre Nene que reassumiu a bateria da Academia de Samba Praiana acho que um dia antes. Como Nenê tem seu grupo de diretores e ritmistas que o acompanham, foi só passar o que eles já fazem juntos e agora projetar o futuro.

Depois da Praiana veio a bateria da Unidos do Capão. Posso dizer somente que saímos a contento.

Dai a Laranja Mecânica tomou conta do pedaço. Mestre Breque pra variar veio metendo um suco. 

Que ritmo, que trabalho música! A laranja já tem aquela característica de vir quebrando tudo, faz uma bela parada onde a escola canta forte e depois a “batera” retoma na quebradeira... O laranjada! Bateria de jovens que arrebentam e fazem sem medo. Parecem já terem anos de estrada tamanha tranqüilidade.

Depois da laranja os boca braba do Gravataí chegaram. E mais uma vez a competência e organização do Mestre Aruanda já mostram que vem pedrada só no visual. Todo ano o ele dá um show na mostra de sambas. Instrumentos bem bonitos com plotagem, adesivagem e peles de nylon sublimadas...

Os ritmistas tirando maior onda de macacão e bonés da bateria na maior estileira. Mas na verdade no que o Gravataí esnobou mesmo foi na pegada da onça. Ritmo forte, bossas de difícil execução, mas muito bem executadas. Essa gurizada é boca braba mesmo... Os guri são ruim kkkkk. Parabéns pelo lindo trabalho.

Logo após Acadêmicos de Gravataí vem a meninada da União da Vila do IAPI. A Bateria Coração da Vila ou Meninos da Vila chegaram em grande estilo.  Mestre Ninho Pujol veio com proposta de dar um andamento forte ao samba: firme e seguro.

É isso ai meninos, que de meninos não tem nada, só malandros do ritmo. Parabéns pelo trabalho apresentado.

Para finalizar a noite a Sinfônica Vermelho e Branco chegou. Preciso dizer algo? Característica única no nosso carnaval, tradicional e polivalente. Mestre Urso dando seqüência na tradição e ao mesmo tempo botando seu tempero. Sucesso rapaziada!