sexta-feira, 10 de julho de 2015

"Sambas Inesquecíveis" - Imperatriz Dona Leopoldina

Foto - Click RBS

Seguindo a série de Sambas de enredo inesquecíveis, conforme votação na fanpage do Setor 1, vamos saber qual o samba mais lembrando pela comunidade da Imperatriz Dona Leopoldina. 

Nome da Escola: Imperatriz Dona Leopoldina

Tema-Enredo: "Beth Carvalho, a Madrinha do Samba da Leopoldina"

Compositor: Vinícius Maroni, Vinicius Brito, Fábio Santiago e Saimon

Intérprete: Alexandre Belo

Foto - Correio do Povo

Nas cores laranja, preto e branco, a Imperatriz Dona Leopoldina homenageou a sambista carioca Beth Carvalho no ano de 2010, se consagrando campeã do Grupo Especial pela primeira vez em sua história. Um dos quesitos determinantes para a vitória da Imperatriz foi Mestre-Sala e Porta-Bandeira. Naquele carnaval , Marcelinho e Gisa foram o único casal a receber três notas 10 no Grupo Especial. 

A bateria do mestre Cachorrão também foi um dos destaques daquela noite, não teve um grande número de componentes, porém foi certinha do começo ao fim. O desfile não teve muitos pecados e o desempenho se refletiu na planilha do júri. O enredo, bem contado, ajudou na contagem dos pontos. Mais do que nunca foi um samba inesquecível para a Laranja Mecânica, que fez a festa da torcida nas arquibancadas durante o desfile.

Com alas compactas, boa coordenação, vistosas alegorias, a escola apresentou carros em homenagem ao Morro da Mangueira e à escola de samba verde-rosa do Rio de Janeiro.

Lembrando... A Imperatriz teve toda a sua quadra destruída por um temporal no dia 5 de outubro de 2009. A escola recuperou a sua estrutura e conseguiu fazer um desfile de superação no ano seguinte (2010).


Samba-Enredo

Na Imperatriz o samba é de arerê
Bate tambor e diz no pé
A Leopoldina vai levar você
Prum banho de axé
Baticumbum, êê
Que som é esse?
Veio de lá, trouxe um balanço diferente

Prugurundum, ôô
Batuca, gente!
Está formada a orquestra popular
E nossa rima, inspirada na menina
Traz a doce melodia

Do piano, bailam versos pelo ar
Convidando todo povo a cantar:
Bem vinda, madrinha do samba
Sou Leopoldina, serei seu par (por onde for)
Vou festejar! Sou firme, forte e valente
Descendo a colina a cantar
Ô, coisinha tão bonitinha do pai
Vai ao infinito e faz o samba despertar

Chora...
O samba não pode acabar agora
E olha a lua mansa que namora
Os ramos da velha tamarineira
Cavaco, repique, pandeiro
O banjo alegra o terreiro
Vibrando na pegada do tantã

E pela madrugada...
O peito vai pulsando em primeira marcação
Mangueira é herança, é razão
Beth é madrinha do meu coração