quarta-feira, 20 de maio de 2015

Fernanda Gomes: "- Choro pela minha Restinga..."


Quem poderá dimensionar o amor de uma pessoa por um pavilhão? E quais decisões a vida vai nos fazer tomar para que possamos estar sempre junto daquilo que nos faz feliz?  São perguntas sem respostas.

A prova viva disso é Fernanda Gomes, atualmente porta estandarte convidada do Estado Maior da Restinga.

Entre as alas infantis e adultas, porta bandeira e porta estandarte, lá se foram 20 anos de amor pela Restinga. Fernanda passou a frequentar o ninho do cisne por que seu irmão sempre foi ritmista do Estado Maior, e ela ia o acompanhar nos ensaios.

Um dia foi convidada por Kizzy Pereira, então porta bandeira da escola para assumir o posto de terceira estandarte. Anos depois passou a ser segunda porta estandarte.

Em 2014, um convite um tanto ousado do presidente Robson Dias, o Preto, a fez deixar o estandarte para assumir a primeira bandeira de sua escola do coração:

“Quando assumi a primeira bandeira da Restinga foi um prazer enorme, nunca havia pensado em ser a condutora do símbolo maior da escola. Em uma conversa com o presidente Preto ele me presenteou com este posto, por estar a muito tempo na escola. Foi uma oportunidade única. Gostei demais, e mais a frente não descarto a possibilidade de voltar desempenhar este trabalho, mas por ter uma personalidade “independente” e poder dançar só, sempre tive um pouco mais os trejeitos de porta estandarte. Por isso quando, internamente a escola achou que eu não deveria seguir no posto, voltei a ser estandarte sem problema algum, porque gosto do que faço... e principalmente eu amo a Restinga!”

Em sua rápida passagem como porta bandeira ao lado do mestre sala Oldair
Com a chegada de Giza e João Boff, que conduziram o pavilhão da Restinga no último carnaval, Fernanda deixou a bandeira da escola e passou poucos dias longe dos pavilhões. Em conversa com a comunidade da entidade e com a direção, aceitou desfilar em 2015 como porta estandarte convidada, o que pra ela foi motivo de grande alegria.

Na Restinga, além das grandes divas que conduziram os estandartes e bandeiras da escola Fernanda tem uma admiração enorme pelo Mestre Guto, o qual ela diz ser exemplo de fidelidade, humildade e caráter... e que o mesmo é grande professor, não somente para os componentes da bateria, mas para todos da comunidade.


“Tenho um respeito e um amor por este Cisne desde pequena. Eu choro demais pela Restinga, perdendo ou ganhando. Discuti muito pela escola e levo o pavilhão com muita garra e defendendo ele como uma parte de mim. Este amor é muito grande... minha historia com a Restinga é intensa e muito forte!”


A bela diz já estar fazendo shows com a escola e da certa sua permanência na tricolor da Zona Sul. Quanto ao posto que irá ocupar, ela é categórica e sucinta na resposta: “Sei que vou sair na minha escola do coração... Onde será? Quem decide isso é o presidente! Estando na Restinga estarei feliz!”

Devoção, amor, lealdade e paixão por seu pavilhão. Assim a bela e talentosa Fernanda Gomes vai escrevendo mais uma linda história de pessoas que, sob qualquer situação, veste verdadeiramente a camiseta de sua escola do coração...