quarta-feira, 6 de maio de 2015

BAMBAS: 75 anos de muito amor!


Para o Carnaval de Porto Alegre, é um privilégio e honra, Bambas da Orgia estar celebrando 75 anos. Bambas da Orgia, que foi fundada por um grupo de jovens que faziam parte dos “Bloco dos Turunas”, teve sua primeira denominação como “Grupo Carnavalesco Bambas da Orgia”, tendo suas cores escolhidas como o azul e branco e seu primeiro símbolo foi o mapa do Rio Grande do Sul. Mas o estatuto da escola foi registrado somente em 1953 e a escola mudou então de “Grupo Carnavalesco” para “Sociedade Beneficente e Cultural Bambas da Orgia”. A mudança do símbolo ocorreu em 1977 quando a escola fez uma homenagem a Portela do Rio de Janeiro, com o enredo "Deslumbramento azul e branco em tempo de Portela". Como Bambas já utilizava o azul e o branco, então adotou a partir desse enredo a "águia" símbolo de sua madrinha (Portela) como o seu também. 

                São 75 anos vividos intensamente por inúmeros carnavalescos gaúchos, desde o Bairro Santana, percorrendo por diversos locais da cidade, passando pela saudosa sede do Grêmio Esportivo Força e Luz, no Bairro Rio Branco, onde teve muitos momentos importantes e com fortes emoções em sua trajetória, conquistando grandes títulos, onde permaneceu até 1992.

                A paixão do bambista é experimentada por gerações. Um sentimento que, como os próprios, gostam de dizer, é a razão maior. Um sentimento capaz de arrepiar até mesmo quem não é bambista, ao ouvir o grito da águia na cabeceira da pista após a sirene. Que torna os bambistas até mesmo ecumênicos, acreditando em Deuses do Olimpo ou em seus Orixás. É uma paixão que faz o bambista argumentar em situações quase indefensáveis, pois não existe campeão sem antes Bambas da Orgia atravessar a passarela do samba, pois com o Bambas “o desfile é na avenida” e mesmo com imprevistos, é sempre “pedra no sapato” de muita gente. É uma magia que enche de esperança quando a escola entra “perfeita” na avenida, e, ao mesmo tempo, dá calafrios e desespero ao ver um carro alegórico com problemas. Bambistas abraçam-se uns aos outros na arrancada, mesmo sem conhecer-se, como se fosse da família. Bambas da Orgia têm os mais diferentes sentimentos, dos títulos e glórias até aos insucessos e superações.


                Mas como falar de Bambas da Orgia sem falar de personagens importantes em suas histórias?  Onira Pereira- defensora do Estandarte da Escola por diversos anos; Rosalina Conceição- Sucessora de Onira - e a primeira mulher a presidir a escola desde sua fundação, iniciou seu mandato em 2001 e trouxe a escola de volta ao grupo-especial em 2002; Pipoca-Passista por diversos anos e pioneira da primeira ala de passistas no Carnaval de Porto Alegre; Mestre Nílton um dos maiores que nosso carnaval já viu; Tio Ciro, mais que um ritmista ou diretor... um marco de Bambas; Mestre Estevão fazendo história; Jajá e Gilson Dornelles, vozes inesquecíveis e atualmente figuras já características na última década de Bambas da Orgia, Cleomar Rosa, Shaienne Sehnem, Adilson Soares entre tantos outros. São figuras de Bambas da Orgia que já perderam muitas noites de sono com Bambas da Orgia, mas já ganharam noites de comemoração e alegria.

                Hoje, na Voluntários da Pátria, onde é o “Ninho da Águia”, Bambas vai vencendo todos os obstáculos, um a um. Vencer é o destino de Bambas da Orgia, pois é a maior vencedora do Grupo Especial do Carnaval de Porto Alegre, tendo conquistado o título 20 vezes.

                Por fim, torcedor bambista, tenha muito orgulho de sua escola. A “Nação Azul e Branca” é responsável por algumas das páginas de maior bravura e emoção na história do Carnaval Gaúcho. É a primeira escola de samba gaúcha e uma das primeiras do Brasil. É a “Razão Maior” de fanáticos, abnegados pela vitória, um grito da alma que assusta a qualquer adversário.


                Nestes 06 de Maio, a EQUIPE SETOR 1 parabeniza Bambas da Orgia pelo seus 75 anos, pois como diz um dos seus sambas antológicos,”O BAMBAS NASCEU, CRESCEU, VENCEU E NINGUÉM VAI DERRUBAR”.