sexta-feira, 17 de abril de 2015

Parabéns Acadêmicos!


“Mais de 3 décadas de uma paixão em Verde e Rosa”.
...Lá é onde mora a tradição do samba...
Lá é onde o samba resolveu morar...
Vem lá do Rio Branco essa gente bamba...
Que faz São Léo se emocionar...
        
         Em 17 de Abril de 1982, um grupo de amigos se reúne em São Leopoldo e decide criar uma escola de samba, em homenagem à Mangueira escolhem o verde e o rosa, juntam ao branco pra colorir o pavilhão. Pra dar sorte, nada melhor que um trevo de quatro folhas pra estampar a bandeira...  Assim surgia a Acadêmicos do Rio Branco !

         Hoje a mais antiga escola de samba em atividade em São Leopoldo. A “mais querida”, o “Zoca”, o Zacadêmicos”, “a Verde e Rosa”, carinhosamente apelidada pelo povo capilé, que já conquistou 8 títulos municipais completa 33 anos de existência.

         Berço de grandes artistas da cidade o Acadêmicos tem em sua raiz, em sua essência, a alma de grandes sambistas que fizeram dessa escola de samba uma coisa mágica, que talvez eu não consiga expressar em palavras. Mário Presidente, Ademir Ginga, Seu Bento, Zula, Nadir, Macalé, Mestre Papai, Bira (hoje presidente da União da Vila), Nenê, Pingo, Betinho, Joca, Caroço, Zé do Patrocínio, Geraldo (o CARA da quadra)... nossa, tanta gente que eu podia ficar citando aqui por dias. Isso só falando da raiz... ainda não falei dos frutos, rsrsrs.


        Acadêmicos do “Sêco”, do “Terror”, do “Pedrinho”, do “Celso Mugango” (melhor repinique da cidade), do “Carlinhos”, do “Bolo” e do “Íta” que faziam parte da saudosa ala de Sopapos da bateria, da Marisa e a ala da velha Guarda, da “ Dona Zê” da ala das baianas. Nossa... tanta gente com tanta história...
        Tenho maior orgulho em fazer parte dessa história também, cresci vendo isso tudo, me emociono quando falo disso tudo, choro no desfile... essas coisas de amor à flor da pele, hehehe. Minha história e de minha família se funde com a dessa escola de samba.

        Meu pai (Seu Ivan) já foi presidente, minha mãe (Dona Claudete) já foi presidente, comandantes marcantes e campeões (e eleitos. Siiiim, no Acadêmicos há eleições pra se escolher seu presidente).

        Desfilei no primeiro desfile da escola, em 1984, então com 11 anos tocando tamborim. Depois passei pelo repinique, caixa e mais tarde entrei na harmonia musical da escola. Na quadra do Acadêmicos fiz minha primeira aparição em público com cavaco, acompanhando nada mais, nada menos que Haroldo Melodia (que imortalizou o... “hoje eu vou tomar um porre...”) intérprete na época da carioca União Da Ilha, que visitava a cidade. Na melhor representatividade da palavra, o Acadêmicos foi minha ESCOLA de Carnaval. Sou talvez quem mais compôs pra escola também, com 8 sambas-enredo!


         O Acadêmicos é isso... mágico, emocionante, familiar, com raiz, com história pra contar, feito da união de muita gente, apaixonante, inigualável...

          O refrão do samba de 2014 talvez traduza um pouquinho desse sentimento...
        
              ...Que emoção
             Ver girar tão imponente meu pavilhão
             E se choro é de alegria, felicidade
             É verde e rosa a minha escola
             A mais querida da cidade...!

          Dinho, Benê, Dorinho, Márcia, Mano Astral, Claudivana, Lu, Rodrigo Teresão, Teresa, Sílvia, Cinara, Ala Preta, Gabriel, Michel, Welingtooooon, Fabiano (atual presidente)...  ... gente que fez e faz a história dessa escola que é a própria história do carnaval de São Leopoldo !

          Perdoem-me os não citei, é muita gente que merece ser lembrada pra tão pouco tempo e coluna, mas todos têm sua importância, o “Zoca” é feito de um mar de pessoas !

           ...Ouviu-se um tambor, ecoar
              Cheguei meu amor, pra sambar
              Todo contente, orgulhoso e todo prosa
              Sou Acadêmicos, Rio Branco, Verde e Rosa...

          Que maravilha poder falar do Acadêmicos! Vida longa a MAIS QUERIDA ESCOLA DE SÃO LÉO !!  Abraço Astral em geral e ó... fuuuuuui