terça-feira, 21 de abril de 2015

Mestre Brinco: Um ano de muita saudade...

Foto: Humberto Macedo

Toda pessoa que “nos deixa” do meio carnavalesco é sempre muito triste. Mesmo sabendo que nosso meio é um povo complicado de se lidar, quando chega na avenida todo mundo quer que todo mundo se de bem! É sempre assim, as pessoas esquecem as suas diferenças, rusgas e desavenças e lutam por um único ideal: o carnaval!

Ouvi na minha vida carnavalesca muito se falar de MESTRE BRINCO. Sempre coisas boas. Que era um grande professor, um grande mestre e acima de tudo uma grande pessoa, tanto que não há registro de uma “ladaia” envolvendo seu nome. As poucas vezes que nos falamos sempre foi uma pessoa gentil, ordeira e de uma simpatia invejável, com aquele sorriso largo que era seu fiel companheiro e talvez, um de suas maiores armas, afinal, quem leva a vida sorrindo, não é atingido por grandes maus.

Minha vó sempre diz que Deus não quer perto dele somente pessoas ruins. Ele quer ao seu lado anjos que possam o ajudar a cuidar das demais pessoas aqui na terra, e quem sabe esta era a missão de Mestre Brinco, ser um anjo professor, que entre a terra e o céu, ensina, e por que não, continue a ensinar aquilo que o carnaval tem de mais precioso: O RITMO.
Embora pra nós aqui na terra seja dia de saudades, lá no céu certamente hoje é dia de alegria, afinal, faz um ano que O CARA tornou a eternidade sua morada.

Por lá essas horas Neri Caveira, João Aruanda, Betinho já pediram licença pro “Nego Deus” e estão fazendo uma batucada gostosa...na voz, Carlos Medina pra cantar e na bateria, MESTRE BRINCO, o mestre do Imperadores, o mestre do céus, o mestre da eternidade...
nosso mestre pra sempre! Saudades...

texto: Israel Ávila