quarta-feira, 25 de março de 2015

"O Rosto da Escola"

Comissão de frente um seguimento tão bonito mais ao mesmo tempo tão desvalorizado no carnaval de Porto Alegre. Sigo a tese de que se a bateria é o coração a comissão de frente é o rosto de uma escola de samba.


 Nos últimos tempos nenhum assunto ganhou tanta proporção como esse, as comissões de frente estão dando o que falar e divide opiniões entre o povo carnavalesco. 

Muita gente concorda com a ideia de que o grupo vire quesito, pois o trabalho é intenso, muitas vezes elaborados em 6 meses ou até mais. Não é fácil colocar uma comissão na avenida, são muitos ensaios, muitas noites mal dormidas, muitos problemas a serem contornados, mais o amor pela arte supera todas as adversidades implantadas no caminho, nunca perdendo o foco q é realizar um grande show.


Mais há quem discorde dessa opinião, acham que seria um gasto a mais para a escola e que não acrescentaria nada no crescimento da folia aqui na capital dos gaúchos.

Certo é que em todas as cidades onde o carnaval é vivido intensamente, assim como aqui, a comissão é quesito, e mais, nos últimos anos vem decidindo carnavais.

Em Porto Alegre temos excelentes comissões de frentes que realizam belos espetáculos no nosso sambódromo, todas têm condições de defenderem as notas para suas agremiações, isso engrandeceria o nosso carnaval e certamente iria melhorar a qualidade do espetáculo.


Hoje, lanço aqui uma nova série no Setor 1 intitulado "O ROSTO DA ESCOLA". Ao longo dela você vai conhecer a luta, a rotina e a história de cada uma das comissões de frente do carnaval de Porto Alegre. E para começarmos, vamos falar de uma das mais antigas e tradicionais comissões de frente do estado os premiadíssimos “Guardiões do Cisne”. Na próxima semana vamos conhecer tudo sobre os guerreiros que vem a frente do Estado Maior da Restinga.