segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Espelho...


“Só que olhando meu filho agora eu vejo
Ele é o espelho do espelho que sou eu”.

Além do Espelho – João Nogueira e Paulo Cesar Pinheiro

Esses versos do poeta João Nogueira e Paulo Cesar Pinheiro, mostra a influência que os pais refletem no caminho do filho que tem em seus criadores a imagem de super-heróis, amigos que sempre estão à disposição para salva-los dos perigos que a vida apresenta. No carnaval não é diferente. Pais inspiram os filhos a seguirem o mesmo caminho defendendo a mesma paixão pelas escolas de samba.

Um grande exemplo está nos Embaixadores do Ritmo, vice campeã do carnaval, onde o patriarca Adolfo Giró, espalhou a paixão carnavalesca para todas as gerações da família, ajudando a fazer dos Embaixadores uma das mais tradicionais escolas de samba da capital.


Neste ano presenciamos uma cena que sensibilizou este profissional que estava na dispersão.

Era o momento do desfile da Vila Isabel de Viamão, que homenageava os 450 anos do Rio de Janeiro, no desfile estreava no grupo especial o casal de mestre-sala e porta bandeira, Adriano e Nathielle, irmãos , filhos da porta-estandarte Rejane, da União da Vila do Iapi e Chula, mestre sala da Imperatriz Dona Leopoldina. Um momento único para os pais que passaram para os filhos a paixão pelo carnaval e ensinaram o bailado do mestre-sala e da porta bandeira aos seus discípulos. Ao final do desfile, Chula que apresentava o casal para o grande público não se conteve e foi as lágrimas, sabendo que Adriano e Nathielle, haviam cumprido a missão de defender as cores da Vila Isabel.



Um momento que fica na história do carnaval e mais um exemplo entre muitos que esse espelho nunca irá se quebrar e que o nosso carnaval sempre estará vivo, por causa desses pais que conseguem plantar a semente do carnaval nos corações de seus filhos.

Valeu...                                                        

 É uma pena, mas está acabando. Sim. O carnaval está chegando ao seu final com uma visão otimista.
Positiva porque neste ano o povo porto alegrense mostrou que ama o carnaval, festejando com os blocos na Cidade Baixa, provando que a cultura popular pode sim fazer parte do centro da cidade e com as escolas de samba que foram recebidas calorosamente na avenida Borges de Medeiros e também no Porto Seco.

Tivemos a oportunidade de acompanhar as quatro noites de desfiles na passarela Carlos Alberto Barcellos, o Roxo, pois mesmo com todas as dificuldades externadas pelos dirigentes pode-se perceber muita criatividade das escolas de samba para realizar um desfile adequado.

Claro que algumas questões devem ser abordadas, como gestão das escolas de samba, a organização do evento, a construção definitiva do sambódromo, pois no próximo ano o carnaval será mais cedo, no início de fevereiro, por isso seria interessante um seminário para que os carnavalescos possam discutir o melhor para a valorização do espetáculo.

Valeu carnaval de Porto Alegre e que venha 2016!!!