segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Da Série: "Guardiões 2015" - Grupo A

Por Ramão Carvalho

[...] Oh, dupla sagrada... O sangue nobre das suas veias... Sustenta o esforço, o suor e a vigília... Para transformar um ano em dia... Nem dores e medos mais terríveis são capazes de impedir... A evolução que fazeis para o mundo aplaudir...[...] Samba de Enredo da Unidos do Porto da Pedra. Majestades do Samba: os defensores do meu Pavilhão. Carnaval 2014.

Dando prosseguimento às reportagens dos nobres casais, introduzi esta matéria com o divino samba da Unidos do Porto da Pedra, que levou para a avenida a dupla de mestre-sala e porta-bandeira como enredo do seu carnaval. A seguir, uma magnífica definição da dança do casal, onde diz que:

[...] A dança do mestre sala e da porta bandeira é como o voleio do beija-flor em torno da flor. Ele se aproxima, toca e sai. Volta a se aproximar, beija e sai.Nunca as ações são idênticas. E a rosa, ao contrário do que se pensa, ... ao sabor do vento das asas do pássaro, Não permanece passiva, ela dança. [...] Palavras de Wilma Nascimento (Porta Bandeira).

Há obrigatoriedades ao casal de mestre-sala e porta-bandeira, que deve executar durante a dança os passos básicos e obrigatórios. Em uma sequencia de passos que culmine com a apresentação do pavilhão. O casal de mestre-sala e porta-bandeira deve evoluir dançando, jamais caminhar; não deve haver comunicação verbal entre ambos. O casal deve reverenciar as pessoas importantes e também as cabines de avaliação/julgamento. Durante suas exibições devem realizar grande reverência ao pavilhão; apresentar o pavilhão com a abertura solene da bandeira; ambos se convidam a dança, que deve conter giros para ambos os lados; dança individual; lembrando que dançam em conjunto, um para o outro. Estas são pequenas dicas para um bailado nota 10.

Agora, vamos saber um pouco dos casais responsáveis pela dança nobre do carnaval, que compõem o Grupo Intermediário A do carnaval de Porto Alegre.

GRUPO INTERMEDIÁRIO A

Academia de Samba Puro
Guislaine Pereira e Alexandre Becker. O casal forma o par pela primeira vez. A porta-bandeira Guislaine fez carreira brilhante na condução do estandarte, ingressando no Império da Zona Norte e um carreira muiticampeã no Estado Maior da Restinga, porém, resolveu dançar portando a bandeira. Foi na Samba Puro a escola que ela iniciou e por lá já se tornou a “prata da casa”. Alexandre Becker chega a escola para somar, com experiências de passista e mestre-sala de Vila Isabel, Praiana e Imperadores do Samba. Ambos irão defender e apresentar o pavilhão da Morro da Conceição, o manto azul e amarelo do pandeiro da Academia de Samba Puro.



Unidos do Guajuviras
Anelise Lopes e Chuca. O casal se formou neste pré carnaval.  A porta-bandeira é oriunda da arte de conduzir o estandarte. Foi porta bandeira da Apito de Ouro de Tapes e da Estação Primeira de São Léo e bailou por alguns anos com este que vos escreve... O mestre-sala é experiente na função, desfilou em diversas escolas de samba da capital e do interior do estado. Ele também é instrutor do curso de Mestre-Sala e Porta-Bandeira Padedê do Samba. Em 2015 o casal irá portar e defender o primeiro pavilhão da Unidos do Guajuviras.



Academia de Samba Praiana
Hélida Freitas e Luiz Marcelo Rodrigues. O casal é formado neste pré carnaval. Hélida é reconhecida porta-bandeira, que iniciou sua carreira na União da Vila do IAPI, desfilando por outras agremiações da capital. Ela é também instrutora do curso de Mestre-Sala e Porta-Bandeira Padedê do Samba. O mestre-sala é uma referência na dança no Estado. Premiado em diversas circunstâncias, Marcelo, ou Marcelinho, como é mais conhecido, é cria de Bambas da Orgia e já desfilou em diversas escolas de samba do carnaval gaúcho, conduzindo grandes nomes do bailado. Para 2015 eles desfilarão com a bandeira verde e rosa dos cavalos marinhos, a Academia de Samba Praiana.



Realeza
Jana Rodrigues e Vinícius Souza. O casal dança há três anos juntos. O mestre-sala dança desde 2000 no cortejo às portas-bandeiras, em diversas escolas de samba. Jana Rodrigues, até o ano passado sempre desfilou desfraldando a bandeira da União da Vila do IAPI, nos últimos dois desfiles cortejada por Vinícius. Para o ano de 2015 o casal vai apresentar o pavilhão lilás e rosa da coroa, Sociedade Beneficente Cultural Realeza.



Unidos do Capão
Kizzy Pereira e Márcio Kremmer. O casal já formou o par que conduziu a bandeira do Estado Maior da Restinga em 2009. A porta-bandeira é experiente e já dançou em diversas escolas, entre elas: Bambas da Orgia, Estado Maior da Restinga e na Copacabana, já portou o estandarte, à exemplo da mãe Onira Pereira, que apresentou estandartes no carnaval carioca. O mestre-sala já desfilou em diversas escolas de samba de Porto Alegre e interior, com passagens por escolas como Estado Maior da Restinga e Acadêmicos de Gravataí. Este ano de 2015 retornam juntos ao bailado nobre do carnaval, portando e conduzindo o pavilhão vermelho e branco do tigre da Unidos do Capão.



Império do Sol
Jéssica Silva e Rafael da Rosa. Casal já dança há mais de dois anos. A premiada porta-bandeira é cria do Império do Sol, filha do presidente Alzemiro, iniciou sua carreira ainda menina, quando promovida a primeira, dançou por mais de 10 anos com este que vos escreve. O talentoso mestre-sala iniciou sua carreira na Imperatriz Leopoldense da Feitoria e dançou em diversas escolas do interior e também na capital. Em 2015 o casal conduzirá a bandeira da escola de samba Império do Sol de São Leopoldo.



Imperatriz Leopoldense
Flávia Sena e Wilian Alves. O casal se formou há poucos dias. Ela é filha do presidente Raul Sena da Imperatriz Leopoldense e é a primeira vez que ela ostenta o primeiro pavilhão. Wilian é mestre-sala e possui experiência na função. Destacou-se como mestre sala da Imperadores do Samba, passou a ser primeiro mestre-sala na Unidos de Vila Isabel e agora o desafio será portar e conduzir, junto com Flávia o pavilhão vermelho e branco dos leões da Feitoria de São Leopoldo.



Fontes:
REGO, José Carlos. Dança do samba, exercício do prazer. Rio de Janeiro: Aldeia, 1994.