terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

A folia paulistana no Anhembi

Escolas apresentaram luxo no Anhembi. Foto: Édson Dutra

A equipe do Setor 1 esteve presente no sambódromo do Anhembi nas noites de sexta e sábado, quando desfilaram as escolas do Grupo Especial de São Paulo, e também na noite de domingo, quando o Grupo de Acesso se apresentou. Um show de luxo, beleza e organização das escolas nas três noites de desfile.  Coordenadores cantando, dançando e motivando os foliões das alas, o respeito e esmero com os pavilhões que cruzavam a passarela, a busca pela perfeição técnica para que nada resulte em perdas de pontos. Um carnaval trabalhado no detalhe, mas principalmente, pelo amor dos componentes à sua bandeira.

Veja agora um pouco do que rolou no sambódromo paulistano, com as escolas que irão saber hoje, dia 17, quem será a grande campeã do carnaval 2015.

SEXTA-FEIRA

Foto: Édson Dutra.

MANCHA VERDE: Vice-campeã do Grupo de Acesso em 2014, a Mancha Verde retornou ao Especial cantando o centenário do Palmeiras. Na arrancada, o presidente da escola, Paulo Serdan, deu um discurso inflamado, afirmando que a escola retornou para não cair. A rainha da bateria, Viviane Araújo foi o foco das atenções do desfile da escola, que também contou com a presença de ídolos do Palmeiras.

ACADÊMICOS DO TUCURUVI: Cantando as marchinhas carnavalescas, a Tucuruvi entrou no Anhembi com muita animação e com o samba na ponta da língua dos componentes. O carnavalesco Wagner Santos preparou um desfile muito colorido e com fantasias de fácil identificação. Renatinho e Fabíola, casal de mestre-sala e porta-bandeira, estrearam na escola, e nossa equipe falou com o mestre-sala, que relatou que estava emocionado e honrado. "Nós trabalhamos muito, o ano inteiro para defender este pavilhão da Tucuruvi. A escola está linda e nós vamos fazer a nossa parte para garantir os 40 pontos e ajudar a escola a ganhar esse título inédito".


Renatinho e Fabíola, o casal da Tucuruvi. Foto: Édson Dutra

TOM MAIOR: Falando sobre adrenalina, a vermelho e amarelo chegou agitando o Anhembi com um dos sambas mais cantados. A bateria foi o ponto alto da escola, com diversas paradinhas e uma levada que conduziu bem o desfile. Momentos de adrenalina foram retratados nas alas, como salto de paraquedas e o medo dos filmes de terror.

DRAGÕES DA REAL: Disposta a conquistar o título de campeã, a Dragões trouxe luxo e requinte para o Anhembi. Alegorias grandiosas retratavam a viagem fantástica de um menino de 14 anos (idade da escola) por um mundo encantado. O enredo "Acredite Se Puder" foi desenvolvido por uma comissão de carnaval e apresentado com muita animação pelos componentes da escola, que saiu da avenida como forte candidata ao título.

ROSAS DE OURO: Vice-campeã em 2012, 2013 e 2014, a Rosas levou para o Anhembi o enredo "Depois da Tempestade, o Encanto". Luxo e criatividade pontuaram o desfile da escola, que teve Ellen Roche reinando pelo nono ano à frente da bateria. Com canto forte e boa evolução, a Rosas saiu do Anhembi também candidata ao título de campeã 2015.

ÁGUIA DE OURO: A escola do bairro da Pompéia levou o Japão como enredo, trazendo para avenida uma nova visão do país asiático. A bateria, comandada por Mestre Juca, deu show na avenida. A Águia também levou para o sambódromo um carro alegórico trazido diretamente do Japão. O desfile da escola encerrou com uma grande homenagem à aliança Brasil e Japão, tendo Zico, ex-jogador e também foi ídolo no Oriente, como destaque do carro.

NENÊ DE VILA MATILDE: Já passavam das 6h da manhã quando a tradicional Nenê de Vila Matilde entrava no Anhembi para retratar Moçambique. A azul e branco apresentou um dos sambas mais cantados da avenida. O enredo afro foi inspiração para a escola conquistar o título que não ganha desde 2001, quando também trouxe um tema afro para a avenida. Décima segunda colocada em 2014, a Nenê saiu da avenida disposta a garantir posições melhores em 2015.

SÁBADO

Marília Pêra foi a homenageada da Mocidade. Foto: Édson Dutra

UNIDOS DE VILA MARIA: Campeã do Grupo de Acesso em 2014, a Vila Maria abriu a segunda noite de desfiles falando sobre os diamantes. Clóvis Pê foi o intérprete oficial da escola, que apresentou um desfile correto, porém, sem grandes destaques.

GAVIÕES DA FIEL: Disposta a retomar os grandes desfiles, a Gaviões levantou o Anhembi com o desfile sobre o baralho. Alegorias grandiosas e fantasias criativas, a escola cantou forte o samba e também contou com a presença de Sabrina Sato à frente da bateria. A escola teve que correr para encerrar o desfile no tempo e acabou sua apresentação no minuto limite dos sessenta e cinco permitidos.

MOCIDADE ALEGRE: A tricampeã Mocidade Alegre teve como enredo Marília Pêra e levou luxo e criatividade para retratar a vida da atriz no sambódromo. Querendo o tetracampeonato inédito para a escola, a comunidade cantou forte o samba, embalado pela bateria Ritmo Puro, comandada pelo Mestre Sombra. A homenageada da escola desfilou no último carro, cercada de familiares e amigos, como Ney Latorraca. A Mocidade saiu da avenida aclamada pelo público e garantiu seu nome na disputa pelo campeonato.

IMPÉRIO DE CASA VERDE: A azul e branco falou sobre sonhos e ideais na passarela. Com alegorias grandiosas e fantasias muito bem elaboradas, o Império mostrou que quer o título que não vem desde 2006. O tigre, símbolo da escola, desfilou na última alegoria, imponente.

Alegorias grandiosas passaram no desfile do Império. Foto: Édson Dutra

ACADÊMICOS DO TATUAPÉ: Falando sobre o ouro, a Tatuapé chegou grandiosa ao sambódromo. No carro de som, Waguinho e Wander Pires cantaram o samba da escola e levantaram a avenida. Viviane Rodrigues brilhou à frente da bateria Qualidade Especial, arrancando aplausos do público. Embora alegue que não, a escola foi punida pela Liga por estourar o tempo de desfile e iniciará a apuração com a perda 1,1 ponto.

VAI-VAI: A multicampeã entrou na avenida agitando a arquibancada. Homenageando Elis Regina, a Vai-Vai realizou um desfile emocionante e contou com a presença dos filhos da cantora. O samba foi muito cantado pelos componentes e a escola teve o maior abre-alas do ano passando pela avenida. A Vai-Vai saiu da avenida também como favorita ao título. O último campeonato conquistado pela escola foi em 2011.

X-9 PAULISTANA: O dia amanhecendo e a X-9 encerrando o carnaval 2015 de São Paulo. Falando sobre a chuva, a escola da Parada Inglesa, bairro da zona norte de São Paulo, apresentou um desfile animado, embalado pela bateria que foi um dos pontos altos da escola. Da Arca de Noé ao consumo consciente da água, a X-9 apresentou um desfile correto e mostrou-se disposta a garantir melhores posições em 2015, já que em 2014 a escola ficou em 11º lugar.

O GRUPO DE ACESSO NO DOMINGO

Escolas do Acesso lutam por vagas no Especial. Foto: Édson Dutra

A chuva castigou as primeiras escolas a desfilar no sambódromo do Anhembi no domingo (15), quando as escolas do Grupo de Acesso passaram pela avenida. Mas a animação das escolas não foi abalada e as 8 candidatas às duas vagas na elite de 2016 mostraram força e garra na avenida.

TRICOLOR INDEPENDENTE: A escola, campeã do Grupo I, abriu os desfiles de domingo, com o enredo afro "Bravos, à Luta". Enfrentando chuva e falta de luz em parte da avenida, a escola cantou forte o samba e mostrou-se disposta a brigar por boas posições e permanecer no grupo.

COLORADO DO BRÁS: Já com a luz de volta ao sambódromo, mas com a chuva intensa, a Colorado do Brás pisou forte na avenida, cantando muito seu samba. Quinta colocada em 2014, a vermelho e branco levou para a avenida o enredo "Maktub -Estória de mil e uma histórias". Apesar dos problemas causados pela chuva nas fantasias e alegorias, a escola apresentou-se com garra no Anhembi.

UNIDOS DO PERUCHE: Querendo retornar ao Especial, onde esteve pela última vez em 2011, a Unidos do Peruche trouxe uma lenda africana para a avenida. Ainda com chuva, mas um pouco mais fraca do que no início dos desfiles, a escola apresentou em grande estilo o enredo "Karabá e a Lenda do Menino de Coração de Ouro". As alegorias foram destaques da escola, juntamente com a bateria Rolo Compressor.

CAMISA VERDE E BRANCO: Nove vezes campeã do Grupo Especial, o Camisa Verde e Branco pisou na avenida querendo retornar à elite, cantando as previsões como enredo. Sem chuva, luxo e criatividade pontuaram o desfile da escola da Barra Funda, que levou o Troféu Nota 10 (equivalente ao Estandarte de Ouro) de melhor bateria do Grupo de Acesso.

IMPERADOR DO IPIRANGA: Cantando o Nordeste, a Imperador do Ipiranga foi a quinta escola a se apresentar na avenida. Problemas com as fantasias foram observados no desfile da escola, que, em contraponto, mostrou em belo conjunto alegórico no Anhembi. Eder Gauchinho, Passista de Ouro da Acadêmicos de Gravataí, desfilou como destaque de chão na escola, à frente do último carro, mostrando samba no pé e ganhando aplausos das arquibancadas.

MORRO DA CASA VERDE: A verde e rosa levou o enredo "Plumas e Paetês" para a avenida. A escola apresentou um desfile modesto, sem grandes destaques na avenida. O canto dos componentes não foi sentido em todo o corpo da escola, que deverá brigar por posições intermediárias.

LEANDRO DE ITAQUERA: Com o enredo "Invencível", em homenagem à Nelson Mandela, a Leandro de Itaquera pisou forte no Anhembi. Muito bem vestida e com um samba cantado por toda comunidade, a Leandro despontou como uma das candidatas ao título do Grupo de Acesso.

PÉROLA NEGRA: Encerrando os desfiles do Acesso, a Pérola Negra levou luxo e requinte para a avenida, para mostrar o enredo "Pérolas". A escola mostrou um desfile rico, com carros grandiosos e fantasias muito bem elaboradas e acabadas. Já ao amanhecer do dia, a Pérola deixou o sambódromo como franca favorita ao título, para retornar à elite, de onde foi rebaixada em 2014.

APURAÇÃO É HOJE

Nesta terça-feira, a partir das 16 horas, o público irá conhecer a campeã do carnaval 2015 de São Paulo e as escolas que irão subir do Acesso para a elite do carnaval paulistano. Todos os detalhes você acompanha também pelo Setor 1. Na nossa fan page, você também poderá conferir fotos dos desfiles dos dois grupos no Anhembi.