sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Setor 1 na Minha Quadra: Estado Maior da Restinga



Noite de ontem (29), a equipe do Setor 1 esteve presente na quadra do Estado Maior da Restinga para saber um pouco mais do trabalho que a tricolor da zona sul levará para a avenida em 2015. Com o enredo “Com o Cisne se Banhando no Rio Mampituba, a Tinga Embarca no Balão Para Contar as Histórias, Cultura, Mitos e Lendas de Torres, a Mais Bela do Litoral Gaúcho”, a escola será a responsável por abrir os desfiles do Grupo Especial de Porto Alegre neste carnaval.

BATERIA É O CARTÃO DE VISITAS



Os Tinguerreiros estão dispostos a garantir as notas máximas obtidas em 2014. Ao todo, serão 250 ritmistas que darão o embalo ao desfile da Restinga. Mestre Guto, há mais de 10 anos comandando o “coração da escola”, fala que o trabalho para este está sendo um dos melhores que ele já fez na escola. “O trabalho está sendo o melhor de todos... A gente está ótimo, esse carnaval é um ano em que nós estamos retomando para nossas origens, como escola de samba. Temos o retorno do Renan, nosso intérprete da comunidade. Alguns dos compositores do samba são integrantes da bateria... E nós, enquanto bateria e harmonia, estamos trabalhando esse samba de uma forma muito especial e o resultado está ficando cada vez melhor.” Para o desfile, a bateria prepara surpresas e coreografias. “Vai ser uma parada muito bem pensada e inserida dentro do enredo”, afirma mestre Guto. Segundo o mestre, o clima na bateria e na escola é muito semelhante ao ano de 2011, quando a escola foi campeã cantando a África do Sul e Nelson Mandela. “Eu sinto essa energia. Vai ser um carnaval surpreendente da Restinga, com um desfile muito harmonioso. Já estou com todas as fantasias na minha casa, a escola está se organizando. Nós vamos fazer um desfile muito bonito. Estamos confiantes.”

O REENCONTRO DO BEIJA-FLOR E A FLOR



João Boff e Giza são o mais recente reforços que a Estado Maior da Restinga buscou para conquistar o título. A dupla, que já dançou junto pelo Império da Zona Norte, se reencontra após anos dançando com outras parcerias. E, segundo João, o trabalho deles para 2015 segue uma rotina consistente de ensaios. “Estamos desde a metade do ano passado juntos, fazendo um trabalho com o nosso coreógrafo, Jardel Cruz... Um trabalho árduo. Estive no Rio de Janeiro para a gente ensaiar, repassando a coreografia para a avenida. E estamos aí para trazer o melhor para a Restinga, em busca dos 40 pontos que a gente sabe que para a escola fará toda a diferença na luta pelo campeonato.” A dupla procura ensaiar constantemente, já que a porta-bandeira Giza mora no Rio de Janeiro, então todos os momentos em que estão juntos são muito bem aproveitados.

Giza também falou conosco, sobre o reencontro com João Boff e a estreia na Restinga. “Pra mim está sendo um desafio dançar com o João novamente, porque eu já vinha de um trabalho com outro mestre-sala, que era muito dedicado, um dos melhores do nosso carnaval e o João estava há dois anos sem pisar no Porto Seco... Então, como eu sou movida a desafios, para mim está sendo maravilhoso retomar isso tudo. Nosso foco é avenida".. Para ela, está sendo muito gratificante defender a bandeira da tricolor da zona sul. "Conduzir o pavilhão do Estado Maior da Restinga para mim é uma grande honra, uma alegria enorme. Eu pensei que não tivesse mais nenhuma surpresa no carnaval e de repente, eu tive. Conduzir este pavilhão, que é um pavilhão que tem um peso e uma história muito forte, e conduzir uma escola com uma comunidade como essa, uma garra como essa é diferente, a emoção é diferente. Ver as pessoas aclamando a escola, como foi na Descida da Borges e eu estando ali, carregando o manto sagrado de toda essa nação, é uma emoção muito forte, uma honra e responsabilidades grandes demais. Eu já me sinto uma tinguerreira”.

HARMONIA DE OLHO NOS 40 PONTOS

Em busca dos décimos perdidos em 2014, a direção de harmonia da escola tratou de intensificar seu trabalho para garantir a nota máxima no quesito em 2015. Vini Casares, com sete anos de escola e estreante na direção de Harmonia, conversou conosco e disse que os ensaios do grupo de canto são intensos. "Nossos ensaios estão a todo vapor, tanto os técnicos quanto nos ensaios gerais, como estes aqui de hoje. A escola está cantando, estamos em constante conversação com o grupo da coordenação para auxiliar nesse processo.”. 

No carro de som da Tinga, estarão 3 cavacos, 2 violões e 7 vozes de apoio, que irão acompanhar o intérprete Renan Ludwig. Sobre o retorno de Renan à escola, Vini acrescenta que isso faz toda a diferença. “O Renan é a cara da Restinga. Ele voltou e a comunidade o recebeu de braços abertos. Isso reflete também no nosso trabalho, naquela vontade de dar o melhor para a comunidade na avenida”.

FALA DO PRESIDENTE



São 6 anos como presidente do Estado Maior da Restinga, conquistando 2 títulos, 2 vice-campeonatos e 2 terceiros lugares no carnaval de Porto Alegre. Para 2015, Robson Dias, o Preto, quer de novo o título de campeão do carnaval para a sua comunidade. O enredo escolhido foi a cidade de Torres e ele falou sobre a parceria com a cidade para a avenida. “Nós fomos muito felizes na escolha desse enredo. A cidade de Torres abraçou esse enredo. A junção do esforço da cidade, dos seus moradores e a junção do esforço dos tinguerreiros, nós acreditamos que resultará num grande desfile e a Tinga tem sim condições de ser campeã deste carnaval”.

No início do processo de criação do enredo, a escola entrou em contato com o CETE (Centro de Estudos e Pesquisa Sobre Tema Enredo e Memória do Carnaval) para o desenvolvimento do enredo e para, juntamente do carnavalesco da escola, Dico, estruturar o carnaval da Restinga. A parceria, a princípio pioneira, precisou de ajustes, e Preto explicou os motivos para nossa equipe “A escola teve que fazer uma adaptação, porque quando se fala de uma cidade, tu fala daquilo que o teu patrocinador quer mostrar. E aí veio a limitação de eu não poder deixar o CETE fazer o enredo, até com pouco mais de propriedade, um pouco mais de viagem carnavalesca, e focar sim nas questões mais comerciais na cidade de Torres.”

O barracão da escola, segundo o presidente, está 95% definido. Abrir o desfile de 2015, para a Restinga, não coloca a escola sob pressão. “Nós temos maturidade bastante para abrir o carnaval de Porto Alegre. E isso foi um presente da Restinga para o presidente da LIESPA, Juarez, para segurar o ibope da TV, o share, os patrocinadores do evento. E tenho certeza que a Restinga fará isso com muita propriedade e disposta sim, mesmo abrindo o carnaval, a alcançar o título”.

Ao todo, a tricolor da zona sul deverá passar na avenida com cerca de 2 mil componentes.