domingo, 11 de janeiro de 2015

Respeito de quem sabe!


Ainda sobre a escolha da corte do carnaval 2015, um dos melhores momentos do evento foi à entrada das madrinhas, rainhas e musas de bateria ao som da Bateria da Velha Guarda de Bambas da Orgia. Mas uma delas em especial marcou pela representatividade do momento e da historia do carnaval.

Raquel Nunes, madrinha da bateria dos Imperadores do Samba, ao adentrar no palco, foi ovacionada pelo público. Era a primeira vez que a madrinhas “dos vermelhos” iria bailar frente a bateria “dos azuis” . Quem a buscou na entrada do palco foi o próprio Mestre Nilton. Ao passar no corredor que fazia a bateria, alguns dos ritmistas tiravam o chapéu, enquanto a madrinha da “mais antiga rival” bailava para os mesmos com energia costumeira na musa da Sinfônica.

Foi inevitável a reação do publico que aplaudiu, alguns de pé, aquele momento impar do carnaval. O carinho da bateria de bambas da Orgia com Raquel fez com que o RESPEITO fosse o protagonista do espetáculo.

Ao fim do show Raquel falou o quão para ela foi importante e intenso aquele momento, exclamando a seguinte frase: “Eu amo o meu Mar, mas acima de tudo, amo e sou apaixonada pelo nosso carnaval”.

Mas...

Em tempos de respeito entre as escolas, fica a insatisfação da “pequena” imprensa com a desrespeito referente à acomodação para o evento rainha do carnaval. Sem local para apoiar seu material (bolsas, computadores e demais acessórios) fotógrafos (aqueles que passam o ano abastecendo a todos de informações e imagens) tiveram de trabalhar sentados no chão, entre as mesas do Clube Farrapos.