segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Na Dispersão: Os personagens do carnaval!


O carnaval de Porto Alegre possui uma história muito rica com personagens que marcaram época e precisam ser lembrados seguidamente.

Em 2008, tive a oportunidade de entrevistar, Adão Alves de Oliveira*, o Lelé, foi o primeiro rei momo, negro do carnaval de Porto Alegre. Ele que foi comerciário, bancário, jogador de futebol (jogou no Força e Luz e no Flamengo de Caxias - atual SER Caxias) e se apresentava como cantor nos programas de auditórios da  rádio Gaúcha. Começou no carnaval influenciado pelos irmãos que desfilavam nos blocos carnavalescos no Areal da Baroneza.

Foto: André Gomes

Foram quatro horas de conversa e histórias emocionantes do tempo de bancário, a amizade com Vicente Rao, rei momo primeiro e único, tempo de jogador de futebol e de quando era “remelexo”, passista nos dias de hoje, no bloco Ideal.

No final da entrevista, seu Lelé pegou a minha mão e muito emocionado me fez um pedido:
“- Meu filho não deixe o carnaval de Porto Alegre acabar”.

Não consegui segurar a emoção ao ver aquele senhor no auge dos seus oitenta e quatro anos implorando que não acabassem com a folia portoalegrense.

Depois disso encontrei com seu Lelé mais algumas vezes até ele nos deixar em julho de 2013.

Lembro-me desta história porque uma das belezas do carnaval ultrapassa o brilho das fantasias, são as histórias que cada folião tem para contar quando desfila pela sua escola. Os abnegados desta festa que trabalham o ano inteiro esperando os sessenta e cinco minutos para ver a sua agremiação brilhar na passarela e vencer o carnaval. Esses são os verdadeiros personagens que atendem o pedido do seu Lelé e  acredito que na avenida onde desfila a sua alegria, seu Lelé deve estar feliz, por tantos apaixonados pelo carnaval que não deixam a bateria silenciar seus tamborins.

E aproveitando o mês de dezembro que serve para reflexão e perspectivas, agradeço a todos os personagens que fazem do carnaval sua verdadeira paixão e ajudam a contar as histórias da avenida.

UM FELIZ NATAL E NÃO DEIXEM DE ESCREVER O ENREDO DE SUAS VIDAS...