terça-feira, 16 de dezembro de 2014

De que lado você está?


No último sábado (13) durante o programa Sambalance, na Rádio Metrópole, ao ouvir o debate da mesa sobre patrocinadores que se negam a patrocinar o carnaval o presidente da Liespa Juarez Gutierres de Sousa, por telefone, entrou na conversa e colocou algumas palavras que deve fazer o povo do carnaval refletir. De que lado você está?

No próximo dia 06 de Janeiro teremos mais um Leilão dos Camarotes e frisas, e nas redes sociais já existem algumas manifestações com a “velha história” de poder ou não levar bebidas para os camarotes e frisas adquiridos pela população. Se você é um destes que é a favor de poder levar bebidas de casa, então deve lhe informar: VOCÊ ESTÁ CONTRA O CRESCIMENTO DO CARNAVAL. E explicamos o porquê.

O teor do espetáculo só não é maior, por parte das escolas e estrutura por falta de recurso. Recursos estes, que não bastam que sejam somente os do poder público. É preciso ir a busca de patrocínio. Com isso, dificilmente um patrocinador, como uma marca de cerveja, por exemplo, vai querer investir em um publico que não consome o seu produto. É como um vendedor de churrasquinhos querer vender seu espetinho em um bairro de vegetaríamos.

Você acha o festival de Parintins lindo e de grandes proporções? Pois é, lá ninguém entra com bebidas levadas de casa. Acham o carnaval de São Paulo e Rio de Janeiro maravilhoso, e muito distante da nossa realidade? Pois é, lá também não é permitido entrar com bebidas levadas por seus espectadores.

Quando você paga pra ver um show do seu artista preferido, ali na quadra do Império, no Pepsi On Stage, no Bar Opinião, no Alternativo, ou em qualquer casa de shows, você também não pode levar a sua bebida de casa. Quem gosta de carnaval e quer ver o carnaval crescer e com uma qualidade superior a cada ano não pode ficar com o pensamento retrógrado e saudosista de que a anos atrás tudo era melhor e tudo podia. 

Sim, sabemos que alguns dirigentes de escolas de samba também contribuem para que espetáculo tenha baixado sua qualidade, mas no geral, as escolas de samba de Porto Alegre vem em um crescente que em breve irá estacionar, devido a falta de recurso e apoio. 

Você tem duas opções. Aceitar que só “ajudando a marca” ela irá nos ajudar com fomento para que o  nosso espetáculo seja cada vez maior ou pode ficar debatendo em redes sociais e reclamando do desfile das escolas, sendo, indiretamente, um dos causadores das dificuldades encontradas pela nossa tão discriminada cultura. E ai, de que lado você está?