segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

A estreia de Elias Costa e "Na dispersão", a nova coluna do Setor 1


A palavra dispersão no dicionário da nossa língua pátria quer dizer: ato de dispersar, debandada, espalhar, ir a várias direções. Mas acredito que esses significados não combinam com o que a palavra representa no carnaval.

Nesses carnavais onde tive a oportunidade de participar da cobertura da rádio Gaúcha aprendi que a dispersão muitas vezes pode ser mais importante que a arrancada da escola, pois é no final do desfile que tudo pode acontecer e ao contrário do sinônimo da expressão, a escola tem que encerrar o desfile na mesma direção.

Como canta o rei Roberto Carlos “Se chorei ou se sorri, o importante é que emoções” já vivi na dispersão. A tristeza por um acidente de percurso, o nervosismo por causa do tempo de desfile, o sorriso pelo dever cumprido, tudo isso é demonstrado pelo carnavalesco quando está desfilando.
Essas histórias que pretendo compartilhar com os amigos do Setor 1.

A DESPEDIDA DE ADROALDO MANCIL

Dodô, grande novo do carnaval da capital - Foto web-reprodução/ Personagem da Folia

No carnaval de 2008 estava debutando na cobertura carnavalesca da rádio Gaúcha. Desse carnaval lembro da muamba, uma semana antes do desfile principal, onde a rádio começou a transmitir às 17hs e encerramos os trabalhos às 7hs, uma verdadeira maratona.

Mas o que ficou guardado na memória sobre este carnaval, onde Império da Zona Norte conquistaria o título ilustrando a história do Samba, foi a despedida do intérprete que fez história.

Era noite das Campeãs e a tribo Os Comanches, comemorava mais um carnaval conquistado. Aproximava-se do final do desfile e era a minha hora de informar a festa “Comancheira”. Sem pensar duas vezes, não poderia perder a oportunidade de entrevistar o intérprete Adroaldo Mancil, o Dodô.

A última questão para o intérprete era se ele continuaria a cantar na tribo no carnaval seguinte. De repente ele me olhou, respirou fundo e começou a desabafar e anunciou a sua aposentadoria.

Foto: Web-reprodução/Personagem da Folia

Foi uma surpresa a decisão do intérprete e ali se despedia um dos grandes nomes do nosso carnaval.
E quis os “Deuses da Dispersão”, que fato acontecesse com esse repórter. A partir de então poucas vezes me dispersei do final do desfile...

ADROALDO MANCIL, O DODÔ foi uma das grandes vozes do carnaval de Porto Alegre.
Desfilou nos Acadêmicos da Orgia, Imperadores do Samba, Estado Maior da Restinga, Academia de Samba Praiana e a tribo Os Comanches...