segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Perfil: Anderson Castro


Nome: Anderson Castro (Andy)
Idade: 29
Naturalidade: Porto Alegre
Função no carnaval: Passista
Profissão: Assistente de departamento de pessoal (recrutamento)
Religião: Católico

Estado Civil: (   )Solteiro   (    )casado   ( x  ) namorando  (   ) enrolado   (    ) a procura

Andy e sua parceira Sandi - Foto: Nilveo Christiano

Escola que começou: Vila Isabel
Escola por onde passou: Vila Isabel, Império do Sol, Acadêmicos de Niterói.
Escola que está: Imperatriz Dona Leopoldina
Escola do coração: Bambas da Orgia, Portela e Vai-Vai.
Se não ocupasse a função que ocupa no carnaval, o que você seria? Carnavalesco
Profissional do carnaval gaúcho que você admira: Pois então, sou fã de alguns profissionais que são Laerte Myra, Silvio (carnavalesco do Imperador) acho o trabalho dele incrível e Rosalina Conceição, pois foi vendo sua energia no seu bailado que me tornei bambista e também pelo seu trabalho como presidente, pois um presidente que levanta cinco vezes o caneco como campeã, merece todo o respeito.

Foto:Reprodução arquivo pessoal

Um carnaval inesquecível: carnaval de 2009, quando fui estandarte de ouro em Poa.                                                                                                                            
Uma palavra: FELICIDADE
Um sonho: desfilar na Portela.
Um programa de TV: Esquenta
Um filme: não tenho um preferido, mas gosto do gênero TERROR.
Uma música: qualquer samba enredo

Um defeito: teimoso
Uma qualidade: ser amigo para todas as horas
Um amigo ou amiga: bah! na verdade eu tenho 3 fiéis escudeiros que são Eder Gauchinho, Mary Morena e minha passista Sandi.


O que você vê de certo no carnaval: a oportunidade que muitas escolas estão dando para novos talentos.

O que você vê de errado no carnaval: o que vejo muito por ai é presidentes enriquecendo do dia para noite e a escola dos mesmos vem ponta cima, ponta baixo. #prontofalei

Uma história de carnaval: Foi no carnaval de 2009 no Império do Sol, meu primeiro ano como primeiro passista em uma escola, na noite do desfile caiu uma chuva torrencial por sorte na hora do desfile do Império a chuva parou, mas a pista ficou molhada e como todos sabem ela vira um sabão, imaginem o meu nervosismo e meu pânico, pois bem o desfile começou e lá foi eu sambar feito doido  quando deu uns 100 metros de avenida o Andy aqui resvala e cai com tudo de b.... no chão,por alguns segundos fiquei desnorteado,mas encarei aquele tombo como um obstáculo a ser superado e não me deixei abater,respirei fundo e voltei a sambar mais louco ainda sem me importar com avenida molhada e o resultado veio meses depois com o meu nome sendo chamado na voz ainda do saudoso Nelson Marconi,como estandarte de Ouro Grupo A, como melhor passista.