quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Márcio e Daniel Medina: 25 anos de uma carreira brilhante!


         Que bom quando podemos compartilhar da felicidade de amigos da gente. Hoje, com muito orgulho, o Setor 1 dedica a minha coluna a dois grandes músicos nossos.  

         Filhos do grande e inesquecível Carlos Medina, Márcio e Daniel seguem o caminho que o pai também trilhou. São extensões dele. Simpatia, educação, profissionalismo e uma qualidade musical irretocável. Fizeram através do tempo que “Medina” virasse grife. Seis letras que vão muito além de um sobrenome.

           E que honra poder me considerar amigo desses caras. E em nome dessa amizade já de décadas, pedi ao Márcio que presenteasse aos leitores do Setor 1, falando um pouco dessa trajetória. Leiam:


           “... Tudo começou em meados de 1989. Na necessidade de ajudar em casa, pois meus pais haviam se separado, saímos à luta. Encontramos emprego na casa de samba Evolução na Av.Ipiranga. Eu como copeiro e meu irmão como garçom. Mas no primeiro dia de serviço nos deparamos com a banda a qual meu pai fazia parte: Grupo Senzala!

                   Nossa!!! Nossos olhos brilharam e nós dissemos: É ISSO O QUE QUEREMOS SER !!! Buscamos e encontramos amigos que se engajaram também nesse sonho e montamos a Banda Luz, e passamos a ensaiar. Certo dia ao chegarmos ao nosso local de ensaio nos deparamos com uma situação difícil. O pai de nosso baterista havia falecido. Justo no dia em que nosso pai iria assistir nosso ensaio pela primeira vez. Não sabíamos, mas por ironia do destino, o pai de nosso baterista, músico também, já havia tocado com meu pai. A partir daquele dia... meu pai sensibilizado promete nos ajudar.
                   Assim nos leva para tocar nos ensaios da União da Vila do IAPI, e aí a coisa fluiu. Em 1992, Medina volta para a Imperadores, e aí começa a história de Márcio e Daniel Medina no carnaval, seguimos fortes, sempre trabalhando com o velho.



                 A Banda Luz se tornou Luz de Neon e em 1993 estreamos na casa de samba Kizomba, depois vieram Bis Bar, Las Vegas, Carinhoso e assim por diante.              

               E no carnaval... de 92 a 97 na Imperadores, 98 e 99 Bambas da Orgia, 2000 Restinga. Nesse ano fui convidado para meu primeiro trabalho solo: COPACABANA ! Ficando lá em 2000 e 2001. Mas seguimos com o pai. Praiana 2001 a 2004. Em 2005 o regresso para a Imperadores, que durou até 2008. A partir daí Banda da Saldanha, até que em 2014 aceitei o convite e fui cantar na Vila Isabel. Atualmente é fácil nos encontrar na Banda da Saldanha, no Buteko do Caninha e nas festas do Projeto Evolução. A caminhada até aqui foi muito difícil, mas com muita honra prometemos que jamais deixaremos que se apague a chama chamada CARLOS MEDINA ...”

                Márcio e Daniel foram homenageados com o “Troféu Consciência Negra” em solenidade recente na Câmara de Vereadores de Porto Alegre. E celebrarão esses 25 anos de música e estrada com uma super festa dia 13 de Dezembro em que MEDINA E Cia receberão como músicos convidados: SAMBASTRAL, TRIBO GUERREIRA, PORTO ALEX E ROBERTO COSTA.


                Vida longa a carreira desses rapazes que nos enchem de orgulho! Um mega “muito obrigado”, por estarem nos palcos nos oferecendo a chance de ouvir boa música! Meus parceiros Márcio e Daniel... OBRIGADOOO !!!