quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Com aprovação da emenda de Villa, Carnaval contará com R$ 2 milhões

O deputado Adão Villaverde (PT) destacou, na manhã desta quinta-feira (20), durante a reunião da Comissão de Finanças, Planejamento, Fiscalização e Controle que ele presidiu, a aprovação unânime (com 11 votos favoráveis) da emenda que propôs ao projeto de lei orçamentária destinando R$ 1,3 milhão à cadeia produtiva do Carnaval. O parlamentar destaca que o valor previsto na emenda se soma aos R$ 700 mil já previstos no projeto orçamentário, totalizando R$ 2 milhões para a cultura popular do Carnaval.
Para Villa, “o Carnaval tem um enorme significado e dimensão para o desenvolvimento do RS e do Brasil, pois proporciona inúmeras possibilidades de geração de emprego e renda e envolve um conjunto de setores distintos”. Ao justificar a iniciativa, Villa reforçou a importância de se incentivar e investir na cadeia produtiva do Carnaval, responsável por movimentar uma grande estrutura logística organizacional, econômica e cultural.
Foto divulgação

Anúncio da emenda foi feita na quadra da Imperadores do Samba
No dia 25 de setembro, na quadra da Imperadores do Samba, Villa anunciou emenda que protocolou ao orçamento de 2015 propondo a destinação de R$ 1,3 milhão à cadeia produtiva do Carnaval. À época, Villa destacou que a iniciativa tem o objetivo de apoiar, ampliar, qualificar e incentivar a Economia Criativa do Carnaval, que movimenta milhões, gerando emprego e renda. O parlamentar também saudou o trabalho realizado pelas escolas de Porto Alegre, que a cada ano abrilhanta mais o Carnaval da capital e agradeceu a todos, em nome dos presidentes das Escolas de Samba, do presidente da Liga Independente das Escolas de Samba de Porto Alegre(LIESPA), Juarez Gutierrez, do presidente da Superliga das Escolas de Samba do Rio Grande do Sul, Jorge Sodré e do deputado federal Paulo Ferreira.
Audiência pública debateu incentivos à cadeia produtiva do Carnaval
No dia 11 de outubro de 2013, com o teatro Dante Barone lotado por representantes das entidades carnavalescas e gestores de cultura de todo o RS, Villa promoveu a audiência pública para debater a cadeia produtiva do Carnaval do ponto de vista das políticas públicas do fomento e incentivo ao setor, levando em conta a questão da sustentabilidade. Entre os principais pontos debatidos no encontro, ressaltou-se que as escolas de samba atuam como centro de convivência social contribuindo para o desenvolvimento das comunidades.
Histórica conquista de recursos
Em 2014, a cultura popular do Carnaval foi contemplada pela primeira vez com R$ 4 milhões e 40 mil. Deste total, R$ 3 milhões vieram do governo federal, através do Ministério da Cultura; R$ 340 mil foram contrapartida do governo estadual; e R$ 700 mil vieram do Orçamento Anual de 2014, conquistados através de consulta popular junto ao Corede Metropolitano da região do Delta do Jacuí. Para Villa, que articulou as tratativas em parceria com o então deputado federal Paulo Ferreira, a conquista representou um grande avanço, valorizando todo potencial cultural, social e econômico que fazem parte da cadeia produtiva do Carnaval.