segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Rugido forte dos Leões da Feitoria

Colaboração:  Lauro Evaniro e Nilveo Crystiano

Festa de lançamento de enredo. Faz tempo que não vejo este tipo de evento, com esse propósito no nosso carnaval. Imperadores e Gravataí, no Especial, fizeram isso, de forma muito bem executada. Tal qual o evento realizado pela Imperatriz Leopoldense, no último sábado, 25, em São Leopoldo, que serve de exemplo para muitas outras escolas.

“Um Mundo Muito Mais Feliz no Faz de Conta da Imperatriz” é o enredo, desenvolvido por Vinícius Brito, que a escola vai levar para a passarela em 2015. E este enredo fora apresentado à comunidade carnavalesca de forma muito clara e objetiva. E não apenas na festa em si, mas antes de toda a cerimônia começar. Como diz um trecho da justificativa do enredo, apresentado pela direção, “o tema leva à avenida desde brincadeiras à história do conceito de criança”. Ou seja, o universo infantil em todas suas facetas fora mostrado ao público.


Já na chegada do salão onde ocorreu a festa, os convidados eram recepcionados pelo Capitão Gancho, que conduzia o público até o salão, ricamente decorado, dando a impressão de que todos entravam em um mundo de fantasia. Um cenário que ilustrava um castelo de um reino encantado, chamado Carnavalândia, servia de fundo para todo o salão.

E o reino de Carnavalândia, onde personagens de histórias infantis se misturam com figuras carnavalescas (a Bela e a Fera viraram mestre-sala e porta-bandeira, enquanto a comissão de frente dos Sete Anões abria espaço para o giro da porta-estandarte, Branca de Neve), foi o mote do teatro apresentado brilhantemente pelas crianças da escola, organizados pela rainha da bateria, Jaqueline Gonçalves e pela diretora da escola, Daniela Senna. A mensagem do teatro, de que um mundo melhor para nossas crianças é possível, é a mesma que a escola pretende levar para a avenida. A encenação, digna de todos os efusivos aplausos que teve, foi o ponto alto da festa.


Algumas homenagens foram feitas a parceiros, colaboradores e amigos da escola, entre eles o próprio Setor 1. A festa contou ainda com a presença de carnavalescos cariocas, como Marcelo Chocolate (professor de dança, coreógrafo da Dança dos Famosos), Matheus Olivério (2º mestre-sala da Mangueira) e Mestre Odilon. Após as homenagens, o presidente Raul Senna, fez sua fala e afirmou que o trabalho de reestruturação da escola segue firme e que a comunidade vai dar a volta por cima.

Sob a batuta do mestre Thiago Paim, a bateria da vermelho e branco embalou a bela apresentação do grupo show da escola, que contou com estreias e reencontros. As estreias ficaram por conta de Leonardo Troian e Allana Medeiros, que defendem o terceiro pavilhão da escola e de Marcinho e Daniele, ex-passistas do Capão, que agora irão dançar pela vermelho e branco de São Leopoldo. E o reencontro coube a Cesinha, que retorna ao microfone número 1 da escola.

Tiane Vaz, Bruna Souza e Tamires Matteo seguem com os estandartes. As três, aliás, muito bem trajadas e empunhando o estandarte com a garra e a beleza costumeira. Já no primeiro pavilhão, Caio e Ana Marilda mostraram total afinidade. A dupla, que nos anos 90 já dançavam como passistas na própria Leopoldense, se reencontram na escola com a responsabilidade de defender o primeiro pavilhão. A comunidade abraçou o casal, que foi por muitas vezes aplaudido e reverenciado.

Com a palavra, o presidente e o diretor...

Raul Senna vai para o seu segundo carnaval como presidente da Imperatriz Leopoldense. Ele agradeceu ao apoio da comunidade, que mesmo com as dificuldades enfrentadas no último carnaval, não deixou de dar força à direção e à escola.

“A Imperatriz é uma escola diferenciada, porque é muitas vezes em momentos difíceis que a escola cresce, se agiganta. Nós somos uma escola, ano que vem, vamos completar 20 anos e nesse pouco tempo, já conseguimos atingir o Especial. Nós trabalhos duro, pesado, com algumas dificuldades, que culminaram com a nossa queda. E esta união de hoje, aqui nesta festa, é algo natural. Sempre que chamamos, a comunidade esteve presente. Logo que passou o carnaval, nós começamos a rediscutir a escola pra 2015, numa mobilização mais interna do que externa, pra buscar novamente a vaga ao Especial.”


Perguntado sobre a equipe de trabalho, Raul afirmou que o time continua o mesmo, apenas com algum remanejamentos. “Nós montamos equipes de trabalho para cada setor. Ninguém mais faz as coisas sozinho. Temos uma comissão de carnaval para tratar dos assuntos do carnaval e uma direção executiva comprometida, para tocar os assuntos administrativos da escola”, diz ele.

Responsável por chefiar a comissão de carnaval, Cledenir Paim também é um dos nomes que retorna à escola, após 10 anos como presidente. “Eu me afastei para buscar novos desafios, principalmente na direção de carnaval, como diretor. Passei por outras escolas aqui mesmo em São Leopoldo, onde fui campeão em 2012 com o Acadêmicos do Rio Branco. Estive no Capão por dois anos e agora eu retorno para a minha escola com o objetivo de tirar ela deste desconforto do rebaixamento... Quando em março, houve o convite do Raul para que eu retornasse, eu falei que a escola precisava de uma energia. E em março mesmo, nós definimos este tema que hoje vocês podem acompanhar aqui na festa, é a energia que escola precisava.”

Sobre o trabalho na construção do carnaval da escola, Cledenir afirma que está tudo ocorrendo dentro do planejado. “O trabalho do tema está sendo maravilhoso. Com aquela energia que a gente estava buscando. A direção abraçou o tema, a comunidade. Em breve já iniciaremos os trabalhos de barracão. Nossos ensaios técnicos já estão acontecendo. Então agora é só seguir que a gente chega lá.”

O que se viu da Imperatriz Leopoldense foi um desejo forte de limpar a imagem causada no último desfile, quando a escola foi rebaixada do Grupo Especial. Diretoria e comunidade se mostram alinhados novamente em busca de resultados positivos. E o pontapé inicial para isso foi dado no sábado, de forma certeira.

Cesinha retorna a Imperatriz


O bom filho a casa retorna! A frase é propícia para a noticia da volta de Cesinha a Imperatriz Leopoldense. Cria da escola da Feitoria, Cesinha acertou seu retorno a escola desde a  quarta-feira dia 15 de Outubro, mas segurou a divulgação para ser um dos pontos altos da festa. No ultimo ano, o interprete havia desfilado na Unidos do Guajuviras, da qual se desligou logo após o carnaval. Mesmo ensaiando uma volta para a escola canoense, ele assina com a vermelho e branco de São Leopoldo, sua terra natal. Na bagagem Cesinha tem passagens por Imperatriz Dona Leopoldina, Unidos do Capão e Protegidos da Princesa Isabel, além de diversas escolas de interior. A festa do ultimo sábado foi marcada por forte emoção da comunidade ao ver de volta seu mais querido canário.