terça-feira, 21 de outubro de 2014

Perfil: Elinho CFI


Nome: Elio Machado Pereira Junior  ‘’Elinho CFI’’

Idade: 31 anos

Naturalidade: Porto Alegre

Função no carnaval: Comissão de frente

Profissão: confeiteiro

Religião: Africanista (Nação)


Estado Civil: (  x ) Solteiro   (    ) casado   (   ) namorando  (   ) enrolado   (    ) a procura

Escola que começou: Unidos de Vila Isabel

Escola por onde passou: Unidos de Vila Isabel e Imperadores do Samba

Escola que está: Imperadores do Samba

Escola do coração: Imperadores do Samba

Se não ocupasse a função que ocupa no carnaval, o que você seria? : Puxador ou mestre de bateria

Profissional do carnaval gaúcho que você admira: Mestre Brinco


Um carnaval inesquecível: O carnaval de 2014 que junto a ‘’CFI’’vivi um carnaval de superação

Uma palavra: filhas

Um sonho: meu sonho é poder sempre realizar os sonhos das minhas filhas

Um programa de TV: Altas horas

Um filme: A procura da felicidade

Um amigo ou amiga:Comissão de Frente CFI

Uma música: A distância ‘’os travessos’’

Um defeito: ser carinhoso de mais

Uma qualidade: procuro sempre ouvir e tento entender pra depois julgar


O que você vê de certo no carnaval: terem achado um lugar legal como é o Porto Seco para o nosso carnaval porque não era legal nosso carnaval acontecer em meio as avenidas de Porto Alegre.

O que você vê de errado no carnaval: Duas coisas, a primeira é comissão de frente não ser quesito no nosso carnaval, até no carnaval de Canoas comissão é quesito, e acho muito errado o complexo cultural ficar atirado como fica durante o ano após o carnaval, e quando chega o carnaval fazem as pressas aquelas arquibancadas improvisadas.

Uma história de carnaval: Um dia eu estava ensaiando com uma banda de pagode, aí o coordenador da CFI, Fabiano Araújo e o Laurí Farias me ligaram e me disseram o seguinte:  “Elinho, sinto muito te informar mas tu ta fora da comissão da Vila Isabel!” – Nossa, fiquei muito bolado porque não tinha porque eles me tirarem da comissão. Aí fiquei perguntando o q havia acontecido... o q eu tinha feito... e eles me enrolaram, me enrolaram ate q me falaram: “Elinho,  tu não faz mais parte da comissão da Vila Isabel, agora tu faz parte da comissão da Imperadores do Samba!” – “karaka”, eu fiquei muito eufórico, feliz de mais porque eu sempre dizia que eu um dia iria desfilar com o Imperadores nem que fosse na bateria. Ai eu recebi que iria fazer parte da escola do meu coração, fiquei feliz de mais, e assim sou até hoje, por fazer parte dessa escola que por onde passa causa uma avalanche de alegria por que ninguém consegue ficar parado quando o mar vermelho e branco passa. Sou Imperador até morrer!!