quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Perfil: Chris Rafa


Nome: Christian Rafael de Souza – Chris Rafa

Idade: 21 Anos

Naturalidade: Porto Alegre

Função no carnaval: Passista Masculino

Profissão: Assessoria de Imprensa - Estágio

Religião: Católico

Estado Civil: (  x )Solteiro   (    )casado   (   ) namorando  (   ) enrolado   (    ) a procura

Foto: Juliano Damaceno

Escola que começou: Unidos do Guajuviras

Escola por onde passou: Unidos do Centenário (Caxias do Sul), Mocidade Independente Jardim Planalto (Esteio), Academia de Samba Cohab Santa Rita (Guaíba), Bambas da Orgia (Ala de Passistas), Imperatriz da Grande Niterói (Canoas).

Escola que está: Acadêmicos de Niterói

Escola do coração: Bambas da Orgia

Se não ocupasse a função que ocupa no carnaval, o que você seria? Mestre Sala

Profissional do carnaval gaúcho que você admira: Adilson Soares

Foto: Fábio Cruz

Um carnaval inesquecível: Carnaval de 2014

Uma palavra:

Um sonho: Ser reconhecido profissionalmente

Um programa de TV: Altas Horas

Um filme: A procura da felicidade

Um amigo ou amiga: Fabricio Lemos

Uma música: Dias de Luta, Dias de Glória – Charlie Brown JR

Um defeito: Teimosia

Uma qualidade: Amigo

O que você vê de certo no carnaval: Os jovens que são o futuro mas também é o presente do nosso carnaval, se unirem, deixando as diferenças e vaidades de lado para valorizar o respeito, amizade e juntos formar projetos visando o futuro do nosso carnaval.

O que você vê de errado no carnaval: A falta de atenção do poder público ao sambódromo do Porto Seco atrasa muito o carnaval de Porto Alegre como a falta de uma estrutura fixa, como arquibancadas e camarotes ainda atrasam a obtenção do alvará do plano de prevenção contra incêndios e a ausência de segurança durante o ano todo, causando ação de vândalos e saqueadores.


No carnaval 2014 - Foto: Fábio Cruz
Uma história de carnaval: No carnaval de 2014 eu estava muito ansioso por ser o meu primeiro ano na função de 1° Passista. Então no dia do desfile oficial, queria alguém para me acompanhar e me apresentar para que eu pudesse me sentir mais seguro. Quem iria passar comigo na avenida, na mesma noite do meu desfile ocorreu um imprevisto e não pode. Nossa senhora! Como eu estava na avenida assistindo os desfiles, sai caminhando pelo complexo pra eu encontrar alguém para passar comigo. Tentei um. Ligava pra outro e nada. Ou não atendiam ou não podiam. Mas até que me veio na cabeça o Fabricio (Passista da Imperatriz Dona Leopoldina), liguei pra ele e ele aceitou. E não podia ser ninguém melhor que ele mesmo, pois além de ser meu bruxo desde a infância, crescemos juntos nessa caminhada, dançando juntos em festivais, mostras e concursos infantis de passistas, sendo hoje também é uma das minhas referências.