terça-feira, 14 de outubro de 2014

Comissões de frente invadem a escola do povo nesta quarta


Chegou a hora da tão comentada, competente e premiada Comissão de Frente dos Imperadores do Samba ser a anfitriã dos ensaios temáticos do Imperadores. Todas as Comissões de frente de Porto Alegre são convidadas para o ensaio da próxima quarta feira (15), a partir das 20 horas, onde os membros da CFI bailaram junto aos coirmãos de dança.

Além das Noites temática haverá também a abertura do evento com uma banda de pagode e a apresentação do Grupo Show da Imperadores. O valor do ingresso custa R$ 5,00 e mulheres não pagam até as 21 horas. 

A ideia dos ensaios temáticos tem sido o grande diferencial dos ensaios do Imperadores deste ano e parece que agradou o publico e a direção da escola. A entidade anuncia que até o fim do ano os ensaios seguiram desta forma.  Já foram apresentadas com grande sucesso a noite das Madrinhas, Rainhas e Musas de Bateria, os primeiros Casais de mestre salas e porta bandeiras e as porta estandartes.  

Por falar em comissão de frente...

Matéria de 07 de Março de 2014

Após o quesito COMISSÃO DE FRENTE ter sido um dos decisivos para o resultado do carnaval do Rio de Janeiro, acendeu-se no coração dos integrantes dos grupos gaúchos novamente a vontade de que comissões de frente seja quesito por aqui.  

Para o jornalista e compositor Vinicíus Brito já é chegada a hora desta mudança: “Já passou do ponto. Não existe nenhum argumento inteligente que justifique Comissão de Frente não ser quesito. Me faz pensar que estamos ainda na pré-história do Carnaval de Porto Alegre.”


Nas redes sociais a campanha ganhou força esta semana e teve apoio de quase todas as comissões, assim como dos destaques em geral. Se por um lado os integrantes das comissões de frente fazem força para que seu trabalho também seja julgado nos tão temidos quatro módulos, por outro, alguns dirigentes de escolas de samba posicionam-se contraria a esta ideia.

Mas um quesito certamente acarretaria em mais investimento para os mesmos. O certo é que, assim como as BATERIAS, comissão de frente é outro item que temos equilíbrio em Porto Alegre, ou seja, todas de uma forma ou de outra realizam um belo trabalho.

Rodrigo Silva, integrante da comissão de frente “Guardiões do Cisne” do Estado Maior da Restinga defende a ideia de que o grupo seja quesito: “Comissão DE FRENTE tem que ser quesito em Porto Alegre por que a tempos cobram profissionalismo e empenho dos grupos e isso aconteceu. As comissões de frente amadureceram essa ideia e o resultado é esse dos últimos carnavais trabalhos maravilhosos e pesquisados por quem cria coreografias. Deixamos de ser uns “animadores” da frente da escola, somos a primeira parte da história que será contada, e nada inicia sem um ponto de partida!”

Algumas, muito lembram as extintas “Alas de Pandeiros”, com coreografias fáceis e brincadeiras sem muito ensaio nas quadras. Já outras, levam mais a sério o trabalho e realizam um perfeito bailado cênico-coreográfico e se assemelham, e muito, com o que se vê nos grandes espetáculos Paulistas e Cariocas.


Para o presidente da Liespa Juarez de Souza Gutierres, a ideia é validade e pode ser construída com reuniões e diálogo: “ Na realidade já faz alguns anos que as comissão fazem este apelo. Eu mesmo sei e defendo este fato uma vez que nos últimos anos tivemos uma crescimento considerável do bailado, e aperfeiçoamento artístico dos grupos coreográficos  que vem frente a nossas escolas de samba. Vejo isso como um fator positivo e relevante, porem, não podemos deixar que a comissão de frente vire um quesito para ser o 9º defasado dos concorrentes a notas, ou seja, o processo financeiro de cada entidade também deverá crescer, a ponto de que, os mesmos possam ser valorizados como de fato merecem e ter o respaldo que um quesito precisa. É um diálogo para se construir em mais de uma reunião um processo longo mas de toda valia. A Liespa está e sempre esteve de portas abertas para receber os membros das comissões e quem sabe iniciar um processo de mudanças neste fator, o que não será fácil, mas também não é impossível. Eu sou um defensor desta tese, que a longo ou a curto prazo, pode sim se tornar realidade.”

Lançada a duvida de “ser ou não ser” esperamos que esta conversa não fique somente entre um comentário e uma curtida do Facebook, tão pouco no fervor do carnaval. É preciso um dialogo franco com respeito e cordialidade entre ambas as partes. Mostrar que o carnaval briga e defende seus ideais, assim como briga pra levar cervejas e mantimentos as frisas e camarotes, não é?  Sucesso e vida longa a todas as comissões de frente!