quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Com expressivo desabafo, Tom Astral se despede da Apito de Ouro

Musico e compositor, Tom Astral despede-se da entidade - Foto Carlos Caroni

Em desabafo enviado por email, o músico e colunista do Setor 1 Tom Astral despede-se da comunidade da escola de samba Apito de Ouro, de Tapes. O motivo seria o não cumprimento com o acordo financeiro entra a escola e a harmonia musical contratada através de Tom. Veja na integra, o comunicado:

Comunicado Oficial 

          Comunico oficialmente que não sou mais Diretor de Harmonia Musical e nem tenho mais qualquer vínculo com a escola de samba Apito de Ouro de Tapes.

          Aproveito também para liberar de quaisquer que sejam os compromissos com a entidade, todos aqueles que estavam no grupo harmônico da escola por minha indicação e desde já peço desculpas pelo tratamento lamentável que estamos recebendo do Sr. Marco Pilger (presidente “licenciado” da escola)... “???”... “$$$”.

          Desde o carnaval venho tentando contato para que o cachê da Harmonia Musical seja “enfim”pago e nada. Há uns meses atrás os telefonemas até eram atendidos (com promessas vagas e que não se cumpriram). Coincidentemente logo após os tais repasses de verba da “Cadeia Produtiva do Carnaval” em que a escola foi contemplada o Sr. “Marcão” retirou a escola dos desfiles em Porto Alegre, licenciou-se da presidência e nunca mais atendeu a nossos telefonemas.

          Como já estamos em OUTUBRO e os contatos cessaram com ele e não existiram com a nova diretoria, procuraremos nossos direitos por vias judiciais.

           Agradeço de coração o empenho, a paciência, a boa educação e a parceria de meus comandados e novamente peço desculpas públicas por de certa forma convencê-los a ir tão longe para levar um calote. Contem comigo na empreitada da justiça e que isso pelo menos sirva de alerta para novos contratados.

           Precisamos nos unir e traçar um mapa dos “maus pagadores no carnaval”. Já está mais do que na hora de acabar com essa prática que vem cada vez mais acabando com a credibilidade no meio carnavalesco. A má conduta de um ou outro dirigente jogando na lama a reputação da grande maioria.
            Eu confesso que cansei...

                                                   Tom Astral