terça-feira, 12 de agosto de 2014

Uma vida dedicada ao samba... Noca da Portela !



        
              Gênio! Se tivesse que definir esse senhor com uma palavra... usaria esta: GÊNIO !

          Do alto de seus oitenta e poucos anos, o homem de estatura baixa, sorriso fácil, jeito malandro tipicamente carioca, passou uma tarde inteira contando-nos com orgulho e propriedade, um pouco do que vivenciou e viveu durante sua vida.Sua vinda foi mais uma das façanhas do nosso CETE.

          Noca da Portela. O homem consagrado do samba, baluarte brasileiro e mundial da música, gravado e regravado por tanta gente e em vários lugares e ao mesmo tempo de uma simplicidade infinita e cativante. Em meia hora já nos sentíamos todos íntimos amigos dele... rsrsrs.

          Obviamente dividiu conosco o seu amor imensurável por sua Portela, contou passagens divertidíssimas com seus amigos Natal, Candeia e tantos outros baluartes imortais. Buscou coisas no passado e contou alguns de seus projetos futuros (ele é o cara).



          Engana-se quem pensa que falou-nos só de samba. O homem é politizado em sua essência, brasileiro preocupado com sua nação. Sem receio ou meias-palavras, discursou sobre a ditadura militar, o movimento das “Diretas Já”, sobre seu amigo Tancredo Neves, etc. Enfim, o homem atravessou o tempo, participou ativamente da história do país e se mantém atualizado ao máximo, atento à tudo que rodeia sua gente.

          Engana-se também quem pensa que só falou. Não! Ele ouviu a todos que quiseram falar, opinar e perguntar, atentamente.

          O amor e a dedicação à família foi um capítulo à parte. Sua família é outra coisa que muito lhe orgulha, e a dedicação dele aos seus é total e vice-verso. Prova disso é o carinho incansável de sua “parceira-neta-manager”  Danielle para com seu avô... o seu “velho”.

          Eu já era fã do artista e de sua obra. Tornei-me fã do homem e de sua história também. Noca da Portela, do Rio, do Samba, da família, da política, do Brasil e do mundo... que privilégio poder tê-lo conhecido pessoalmente!  Foi muito bom !