segunda-feira, 7 de julho de 2014

...de destaque a presidente de escola de samba!


Ouvi Histórias de um baluarte do nosso carnaval, Rosalina Conceição, a Rose. Com uma trajetória magnífica no carnaval, ela foi Destaque, Miss Boneca Café (equivalente à Miss Beleza Negra da atualidade), Porta Estandarte consagrada e Presidente dos Bambas da Orgia.

Um dos episódios – de tantos que ela vivenciou na Escola – o mais impactante, que ela destaca como sendo o mais forte e mais arrebatador, foi o ocorrido no ano 2000, Bambas da Orgia estava na concentração... [...]“Chego na avenida para o dia do desfile... aí chega alguém, que não lembro quem e me diz que os Bambas estão sem os carros alegóricos...[...]... Não quis acreditar... fiquei imóvel, mantive a calma, achei que fosse brincadeira...[...]. A escola deu a arrancada e os carros não vieram. Pânico geral...  [...] “quando vi eram pessoas chorando, gritando...uma tristeza! Mantendo a postura, empunhei o meu Estandarte e adentrei a avenida... nas arquibancadas pessoas choravam, inclusive pessoas dos Imperadores, via pessoas de outras escolas chorando e emocionadas...[...]... foi muito forte, foi emocionante...”[...].



Terminado o desfile, componentes e imprensa a cercam e pedem a ela “uma luz”, uma definição, explicações, o povo da escola esta desorientado; [...] “fico pensando o que a Escola queria que eu fizesse naquele momento? [...]. Rose, sendo a Presidente do Conselho assume interinamente ao cargo de Presidente dos Bambas. Porém o apelo de amigos, componentes, dos sócios e de pessoas de outras escolas, inclusive, foi muito forte para que ela assumisse em definitivo ao cargo de Presidente. Eis que ela aceita!

Considerada desde então uma mulher guerreira, uma vencedora, que quebrou paradigmas no que tange aos dirigentes das Escolas de Samba do carnaval – os presidentes – antes de sua atuação de “presidenta”, o grupo era tradicionalmente masculino e fechado às mulheres. Ela vinha de uma época onde, por exemplo, a escola “A” não tinha relação com a Escola “B”, a rivalidade dos componentes e dos dirigentes era muito acirrada, não havia cordialidade entre as direções das escolas. Com sua personalidade, com seu jeito de mediadora e negociadora, aos poucos ela reverteu e foi modificando tal situação.

Ela foi uma vencedora e é respeitada, não só por ser uma brilhante Porta Estandarte, mas por lutar por sua escola de coração, exemplo foi que no ano que a Escola foi rebaixada (2000), ela assumiu a presidência, negociou dívidas – que eram muitas – e venceu o carnaval do acesso em 2001 (Intermediário A) retornando ao Grupo Principal, não bastasse este feito, sagrou-se campeã já na volta ao Grupo Especial, e não parou por aí; vieram mais dois títulos consecutivos, sendo a Presidente tri-campeã em 2002, 2003 e 2004 do Grupo Especial. Esta é Rosalina Conceição!