quinta-feira, 26 de junho de 2014

Valores da Dança


Olá amigos, acho que devido a Copa do Mundo, demorei a escrever meu primeiro texto sobre minhas experiências e pontos de vista da dança do mestre sala e da porta bandeira.

Escolhi o nome da coluna “Az Do Samba” para defender e representar a arte que escolhi pra viver, justamente por achar que no samba temos que ter o mesmo valor e reconhecimento que a carta “Az” tem para o baralho. Símbolo maior em alguns dos jogos de carteado essa carta de expressão impõem muito respeito, e é assim que vejo os casais de mestre sala e porta bandeira, como “Azes” no carteado do samba. Sem sombra de duvidas o pavilhão e a instituição estão sempre em primeiro lugar, não querendo desmerecer nenhum dos integrantes sambistas, penso o seguinte:

Somos os defensores do maior símbolo da agremiação, “A BANDEIRA”, e na maioria das vezes somos simplesmente e facilmente esquecidos. Assim que comecei a dançar observava atentamente os casais de mestres sala e porta bandeiras e conseguia enxergar neles a soberania da arte, todos, assim como eu reverenciavam e admiravam como o mestre sala cortejava e protegia sua parceira e ela como uma rainha empunhada de seu brasão defendia – o com garra, leveza e um lindo sorriso no rosto.


Cresci acreditando nessa tradição e vendo que cada vez mais a mesma está sendo esquecida, vejo hoje que “UMA BUNDA DE FORA” tem mais valor, do que as tradições, “nada contra a quem mostra as curvas no carnaval”, mas sim a algumas pessoas que usam o carnaval para se promover como podemos ver por aí, acho pouco ou quase nenhum destaque aos defensores do pavilhão e até mesmo do mesmo, contra partida encontramos na “Rede” como representantes das agremiações “Famosos Artistas” sem qualquer identidade com o samba ou até mesmo com a escola.

As antigas transmissões do desfile de carnaval davam total valor aos sambistas em especial a “3” seguimentos: Comissão de Frente, Baianas e Mestre sala e porta bandeira, e hoje “2” desse são totalmente esquecidos e eu não preciso aqui dizer quais.

Mas não quero alongar esse texto em criticas e lamentações, quero apenas aqui chamar a atenção dos verdadeiros sambistas e principalmente aos amigos casais de mestre sala e porta bandeira para que deem mais valor a nossa arte, somos com a “Velha Guarda e as Baianas” um dos primeiros segmentos do samba, precisamos assim como o “Az” impor nosso respeito nesse carteado, somos sim um dos principais quesitos do carnaval e merecemos esse reconhecimento e esse destaque.

“Quem não se valoriza, não é valorizado...”

Desde já esclareço que não quis ofender e nem diminuir nenhum seguimento, entendo que todos em suas funções contribuímos para que o maior espetáculo da terra seja realizado, apenas quis com meu ponto de vista mostra que “TODOS” merecemos e devemos ser mais valorizados no carnaval